quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Verse essa canção: O Dooelo com o real "é natural"


Hoje retomo o “Verse essa canção”, seção de meu blog que andava há um tempo sem postagens. Desde ontem, no meio de minha crise de gripe feroz, venho recebendo sinais do mundo para as inspirações e transpirações dessa postagem de hoje. Ontem, no fim da tarde, ao entrar no facebook, me vi marcado em diversas fotos antigas escaneadas e colocadas na rede social por amigos e algo indefinível juntou-se à minha febre. Após uma noite exaustivamente enfermo, amanheci um pouco melhor e retornei às minhas redes sociais virtuais. Me deparei com uma mensagem de Kamila Carvalho, uma colega de twitter, na qual ela desejava bom dia e recomendava um vídeo da banda Dooelo, de São Bernardo do Campo/SP, pra iniciar a manhã. Há algum tempo, admiro essa banda e venho acompanhando a evolução dela a partir do site e do myspace  deles (envio para os leitores os links – quem não conhece, vale a pena conferir: http://www.myspace.com/dooelo e http://www.dooelo.com.br). O vídeo indicado por Kamila era a apresentação da canção “É natural” no Show Livre Day (abaixo da minha subversão poética, postei os vídeos da canção pra vocês, leitores, também poderem admirar a qualidade musical apurada da banda Dooelo). É natural que, por eu já seguir a banda há um tempo, a canção já seja um hit na minha cabeça, porém, nessa manhã, a letra dela me inspirou versos novos, um novo “Verse essa canção”. Lembro que essa seção poética do blog não pretende trazer interpretações estanques de músicas; ao contrário: os objetivos são trazer uma releitura da canção original, explorar a plurissignificação de sentidos das letras musicais e homenagear, de forma poética, as bandas que admiro. Aí vai o “Verse essa canção com o hit “É natural”, da promissora banda Dooelo – na minha (sub) versão, a canção virou um hino à loucura e ao resgate insano da Terra do Nunca do filme “Hook – A volta do capitão Gancho” (não sei por que, mas o clipe oficial da música me lembrou as crises do protagonista do filme citado). Dedico a Kamila Carvalho e à banda Dooelo, que me inspiraram. Espero que gostem:      

É, Onde estão seus amigos
O que você pretende, o que você mudou
É, não estou mais sozinho
Como você se sente quando não estou?
            Um velho amigo publica uma foto antiga no facebook e me marca apenas com um clic. Marcado, sou pra sempre aquele ser antigo que pouco pretende, que muito pouco mudou. Acompanhado de meu velho amigo, acompanhado de outros velhos amigos. Ele agora é policial e eu não sei quem sou; uns agora são responsáveis, outros, desaparecidos, e alguma irresponsabilidade aparece em mim e me arrasta pra longe deles. Agora estou eu e você aqui... mas quando, em sonhos, as sereias me arrastarem pro oceano de fogo... será que você vai queimar, me incendiar, vai se ferir ou vai partir?

Sozinho, procuro ilusão
Perdido, ando na contramão
            Quando os sonhos invadem meu íntimo, sou Wendy masculino em Terras do Nunca de curvas inacessíveis. Em delírio febril, com o nariz entupido, respiro o ar que não existe. E essas terras invisíveis que trago em mim são labirintos que abrem caminho em meu corpo na contramão.
           
É, não que eu seja um menino
Mas você não entende a minha decisão
É, não que eu esteja mentindo
Pessoas que não vejo e nem sei quem são
            Não que esse Wendy masculino seja capaz de se tornar o líder dos Garotos Perdidos – estou grande demais pra caber no túnel da total imaturidade -, não que a foto antiga do facebook marque o resgate da juventude perdida... É tudo uma confusão em mim, uma inconclusão definida que você não entende – como posso explicar o que não sei e descrever o invisível que vejo, que está em mim?

Agora, não vivo nada em vão
Estou fora, seguindo a direção
            E, hoje, essa terra impossível vive em meus versos e eu vivo por esse lirismo obtuso, por esse eterno confuso que me faz seguir o caminho impossível, fora da rota normal.

Já decidi, tentar mudar
Não fico aqui nesse lugar
Cansei de ser, mais um normal
E te fazer infeliz é natural
É natural
É natural
É natural
            Meu caminho é o descaminho, meu lugar é o não lugar, minha sanidade é insana e essas lágrimas que você derrama em meu peito febril e aflito é uma dor natural que minha loucura não pode conter. Meu absurdo é natural...

É, vou viver sem destinos
Eu entrei nesse mundo e você trancou
É, Sempre fui iludido
As coisas são difíceis de onde eu estou
            Sei que essa Terra do Nunca que se abre pra mim é um território para o qual a sua janela já se fechou. Mas esse universo lírico que cobre os meus olhos suicidas me permite suportar a vida. É, eu sei que é difícil entender, quando se tem uma faca invisível ao redor dos pulsos, um suicídio latente dentro de você.

Vivendo assim, não tomo decisões
Prefiro sim, não dar satisfações
            Eu decidi não decidir pra vontade de morte em mim não me fazer morrer. E, sem dar satisfações, a insatisfação não vai mais corromper.

Já decidi, tentar mudar
Não fico aqui nesse lugar
Cansei de ser, mais um normal
E te fazer infeliz é natural
É natural
É natural
É natural
(Cansei de ser mais um normal
Ser infeliz é natural
O que eu não quero ter
Sei que eu vou te esquecer
O que eu não quero mais é viver)
Minha casa é o desassossego, meu lugar não é aqui, sempre vou ser o que não sei definir e não fazer você sorrir é triste, mas o Wendy em mim nunca teve um The End feliz pra você. Lamento, mas em meu mundo absurdo, a dor é natural. Nesse meu mundo irreal, o duelo com o absurdo real é natural (Louco e lírico eu voo sobre o viver, sou eu mesmo quando não vivo esse nosso não viver, sei como pode doer, mas adeus, tchau, é natural...)



4 comentários:

  1. Nossa!Maravilhoso, Professor-Poeta! Assim, seus leitores seguidores torcerão por outros resfriados, que trazem na recuperação essas produções.

    ResponderExcluir
  2. Sensacionalll........Muito boa interpretação da música....Sendo um dos compositores me senti bastante honrado..e feliz por ter gostado.....Obrigado.....Rodrigo Dooelo

    ResponderExcluir
  3. Adorei a interpretação ^^...seus poemas são sempre ótimos ... e brigada pela dedicação =]

    ResponderExcluir
  4. Gostei da banda, gostei a música e gostei do som.
    Valeu a dica.

    ResponderExcluir