sexta-feira, 10 de maio de 2013

Solidões metaleiras compartilhadas: As dimensões metállicas de Karina Silva


Mais uma vez tenho o prazer de compartilhar minhas solidões poéticas com a fodástica poeta valenciana Karina Silva. Rica em influências simbolistas e rock’n roll, Karina nos traz as “dimensões metállicas” (sim, é com dois l mesmo, em homenagem a banda de heavy metal Metallica) de sua poesia.
Em tempo: o poema de Karina Silva foi declamado pela própria poeta, em parceria comigo, no Sarau Solidões Coletivas In Bar 13: Astronautas de mármore, donzelas metállicas, passagens pra Saigon, armas químicas e poemas” (percebemos que o poema traz, em seu conteúdo, referências ao título do sarau), realizado na Boite Mr. Night, em Valença/RJ, no dia 20 de abril de 2013 e também foi declamado duas vezes no dia 27 de abril: pela própria Karina, representando o Sarau Solidões Coletivas, no evento musical realizado no Coreto do Jardim de Cima, em Valença/RJ, e por mim, no evento “Identidade Cultural & Movimento Culturista”, organizado por Janaína da Cunha, no Bar e Restaurante Amarelinho da Cinelândia, no Rio de Janeiro/RJ. Os vídeos destes eventos já estão no Youtube e, em breve, serão postados aqui no blog também.
Não estamos sozinhos enquanto tivermos a poesia rock’n roll de Karina Silva, amigos leitores!

Dimensões metállicas

Eis que esqueço o meu lamento
da angústia que transcende o tempo!
A noite já cairá
e a solidão vem ao meu tormento...
Mas vejo que sozinha não estou!

Ao longe, sombras dançantes do além
são astronautas que não param em um lugar,
são astronautas que sempre irão retornar.
Estão se aproximando,
ao som que vem os vem chamando,
não param de dançar,
enquanto eu estou alucinando!

Passando pelo mundo real,
as luzes começam a mudar
o brilhante luar...
Destacam um portal de ferro
no qual se aprisionava donzelas metálicas do heavy metal!

Com um olhar perdido em qualquer lugar,
é hora do show começar!
A meia noite acaba de chegar
e eu quero o meu rock’n roll para gritar!
A noite vai arrepiar!
Eu quero rock n’roll para alucinar!

Enquanto as armas químicas
fazem rima em minha poesia,
o hoje vira amanhã
e o heavy metal continua a tocar
Com o rock’n roll que nunca irá se calar!


Um comentário: