sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Velhos poemas juvenis: O amor não é um sonho


Diante de tantos sonhos amantes e poemas amigos compartilhados, deixo hoje um velho poema juvenil de meu primeiro livro “Fim do fim do mundo” (de 1997, tiragem esgotada). Esse poema era o favorito de meu amigo de faculdade Gilberto e tem o estilo romântico-adolescente do poetamigo e aluno Geovane Alves dos Reis.
Pra que o blog continue seu caminho, pra que continuemos sonhando, amigos leitores:

O amor não é um sonho

Acorde!
Tem alguém a chamando
No lado de fora da sua casa.
Levante!
A cama está queimando
Chega de angústia,
Chega de chorar,
Um romance só termina
Na última página
E o nosso nem começou direito.
Chega de excesso de rimas,
Chega de sonhar,
A realidade é deserta
E a fonte do amor pode secar.
Venha!
Estou aqui a esperando
Com o mesmo olhar.
Olhe!
Pra ver o sol
Basta abrir a janela
Que a fecha
Pra essa tarde linda.
Lembre-se!
Você sempre será bem-vinda
Do lado de fora da sua casa.
Não feche mais meu olhar!
Pro amor não ser um sonho
Basta amar!

Um comentário: