terça-feira, 23 de julho de 2013

Microcontos religiosos de humor pagão: O dever católico de Candida Pomposa

Amigo leitor, se o Humberto Gessinger tivesse adiado sua composição "O Papa é pop", essa semana seria o período ideal para lançá-la: o tal Papa Francisco ganha status de popstar em sua primeira visita ao Brasil. E é cheio de graça, ou melhor, engraçado demais esse lance da chegada do papa e os efeitos que esse evento gera nas beatas. Numa banca de revista, ao meu lado, uma senhora falava que ligou pra irmã após anos de discórdia com a mesma e perdoou todos os pecados da irmã outrora amaldiçoada uns dias 'antes que o papa chegasse'. É, o papa é pop e o papo pop do papa não poupa ninguém, nem mesmo o blog que lês, amigo leitor!
Imaginei a dona beata no telefone com a irmã e produzi o microconto abaixo:

O dever católico de Candida Pomposa

Candida Pomposa estava desesperada. Faltava 1 dia para a chegada do Papa ao Brasil e ela permanecia em profundo pecado: estava há 2 anos sem falar com a irmã pagã. Beata ao extremo, Candida Pomposa sabia que tinha um dever católico a cumprir antes que o Papa pisasse em terras brasileiras: perdoar a irmã canalha antes que profetas do apocalipse apontassem os rancores pecaminosos de sua alma cristã.
Contorcendo-se de humildade católica, teclou apressadamente os números referentes ao telefone da malfadada parente. Ao ouvir a voz da maldita irmã do outro lado, libertou-se de todo o rancor:
- Olha, minha irmãzinha desgraçada e fdp, eu tô te ligando pra perdoar todas as m... que você fez e que foram completamente culpa de sua existência pagã e miserável. Tô te perdoando, tá? Tá ouvindo? Tá perdoada, minha querida parente desgraçada!
Desligou logo em seguida o telefone e, com aquela cara feliz de santa beatificada, Candida Pomposa foi assistir aos próximos capítulos da vinda do Papa ao Brasil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário