sexta-feira, 13 de abril de 2012

Clipoema psicodélico: Uma escadaria em meu céu



Esse é o clipe que fiz para o meu poema ledzeppeliniano "Uma escadaria em meu céu", em homenagem à canção "Stairway to Heaven", de Led Zeppelin. Declamado por Paulo Rodrigues, do Programa "Simplesmente Rock", da radiovalencarj.net, esse é o terceiro clipoema que tem o registro marcante da voz do locutor. Apesar de só agora eu ter produzido o vídeo de "Uma escadaria em meu céu", esse clipoema, na verdade, tem a marca histórica de ter sido o primeiro que Paulo declamou em seu programa de rádio, que rola todo sábado, de 21h às 23h, na http://radiovalencarj.net/
Clipoema altamente psicodélico pra ler (o poema pode ser encontrado aqui no blog, no marcador Poema - Homenagem), ver e ouvir antes de dormir, depois de acordar ou em todo momento que você pensar em escrever, viver e sonhar. 

Um comentário:

  1. confesso que não conheço muito a discografia de Led Zeppelin, mas gosto em especial dessa música, muito embora não detenha o conhecimento, mesmo que rudimentar, do inglês. Mas o que mais me encanta nessa música é o ritmo, a harmonia do som e da voz do cantor. A mim parece um grito rasgando as notas musicais, se libertando, atravessando a eternidade e tomando como abrigo o teu poema Carlos. Eu lembro que fiz um comentário sobre o verso que me atingiu a alma “Manter meu coração mais leve que as penas”. Não me pergunte o que comentei, seria uma pergunta difícil demais mim, dada a minha mémoria de ameba, mas nunca me esqueço de algo que vem ao encontro de minh’alma. A penúltima estrofe é minha preferida:

    “Então meu coração tenta alcançá-la
    No ritmo abraço dos ventos dos tempos
    E a voz daquela senhora atravessa a eternidade,
    Ultrapassa as tempestades
    E eu tento
    Sim, eu tento...
    Manter meu coração mais leve que as penas
    Que ardem no pássaro pesado de meus medos passados
    Esse pássaro não voa, senhora... quero penas novas!”

    Quanto aos versos da música. Ressalto os seguintes:

    With a word she can get what she came for – não saberia traduzir, mas entendo um pouco o sentido, o que me fez indagar que palavra encantada seria essa? Talvez a resposta esteja em outro verso “'Cause you know sometimes words have two meanings”, de fato, se a ambiguidade existe, entao uma palavra terá multiplos sentidos. Desse modo, um seguinifica muitos. A ambiguidade das palavras, torna-se dualidade nas escolhas. Nos versos, “Yes, there are two paths you can go by, but in the long run - There's still time to change the road you're on”, se compreendi um tico.

    Existem caminhos e podemos seguir um ou outro. A mudança é o que há de mais constante em nossa existencia. “Dear lady, can you hear the wind blow - And did you know your stairway lies on the whispering wind”. Por isso, a instabilidade que as tempestades ocasionam, podem desequilibrar a escada para o céu, no entanto, ou voce se equilibra ou cai. Estar nessa escada, requer uma habilidade extraordinária, escutamos o que o vento sussura, quem sabe não é ele quem dá as dicas do equilíbrio?

    Fernando Pessoa afirma que somos do tamanho de nossos sonhos e Led nos lembra que existe a sombra que nos precede em determinadas horas do dia e do tempo “Our shadows taller than our soul, there walks a lady we all know”. Será que um dia ultrapassaremos a questão da dualidade na existência? “When all are one and one is all, yeah- Quando todos são um e um é o todo” (será que é isso?), mas o próprio enunciado já é ambiguo: ser multiplo e uno.

    EITA QUE O TRECO FICOU GRANDE DE NOOOOOOOOVO, ENFIM, SERÁ SEMPRE ASSIM. DROGA RSRSRS (é mentira, não lamento mais, apenas me resigno)

    Para finalizar, comerei um bolinho de céu de Portugal (que ganhei, se não me engano, é esse o nome, não importa, o fato é que É delicioso meu amigo, experimente)

    ResponderExcluir