sábado, 30 de julho de 2011

George Harrison e eu em "Outra manhã de sol"

Essa é minha (sub) versão para a canção "Here comes the sun". Usei da ironia no hit beatleaniano, composto por George Harrison e gravada em 1969, para contextualizar com a nossa época e com o que acontecia no Brasil sob domínio ditatorial. Pode parecer subversiva a minha versão, afinal George fez uma belíssima canção simples e alegre sem grandes pretensões, mas acho que o compositor perdoará minha ousadia, pois ele sempre foi amigo de revoluções artísticas:


Outra manhã de sol


É outra manhã de sol,
É outro amanhã sem sal,
E eu me pergunto:
O calor ainda vem?

Vermelha estrelinha,
A comida está congelada e bastante cara.
Vermelha estrelinha,
Parece que foram anos-luz desde que esteve aqui
E o feijão está sem sal,
E é outra esta manhã de sol,
E o mendigo finge
Que está tudo bem.

Vermelha estrelinha,
Os sorrisos amordaçaram os rostos.
Vermelha estrelinha,
Parece que foram anos-luz desde que esteve aqui
E há outro sol
E o mesmo mal
E os tristes dizem
Que estão sorrindo também.

Sol, sol, sol, quem te escondeu tão bem?
Sal, sal, sal, quem ainda tem?
Mal, mal, mal, você ainda vem?
Sol, sol, sol, está tudo bem?
Sal, sal, sal, quem sorri tão bem?

Vermelha estrelinha,
As trevas se coloriram plenamente.
Vermelha estrelinha,
Parece que foram anos-luz desde que partiu
E esse outro sol,
Esse velho mal,
E os Estados Unidos dizem
Que está tudo bem
E eles comem o sal
E é outra manhã de sol
E tudo é ninguém
It’s all right...

Nenhum comentário:

Postar um comentário