domingo, 24 de julho de 2011

Clipoema: "Escravilizado", com o cachorro Tortinho (in memoriam)

Meu poema "Escravilizado", do meu terceiro livro (“¿NOTE OR NOT SER?”), com participação do falecido cachorro Tortinho. Última e única interpretação magistral desse cão vira-latas que me acompanhava nas caminhadas noturnas, com suas revoltas sem causa e seu coração nobre e carente.

2 comentários:

  1. Grande Torto! Muitas saudades de caminhar com ele pelas ruas do SJP!

    ResponderExcluir
  2. Muito bom Carlos o poema. Nós animais racionais e irracionais, ricos e pobres, estamos ainda em um estágio fetal de consciencia. Quando iremos nascer, quando viremos a luz meu amigo? Um simples cão vira-latas, as vezes, é mais humano do que os ditos "humanos". Tenho o meu Sansão aqui, lindooooooo, vira-latas, vira-baldes e vira-meucoração de tanto que gosto dele.

    ResponderExcluir