quarta-feira, 21 de maio de 2014

Cem Poemetos de Solidão: Poemeto XXXI

XXXI

Alguns leitores distraídos dizem que eu já escrevi textos não fictícios. São mais imaginativos que eu: inventaram uma realidade impossível e idealizada, que a escrita literária, infalível na ilusão das palavras, jamais corrompeu!


Nenhum comentário:

Postar um comentário