quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

Solidões compartilhadas in memoriam: Adriano Gonçalves contra os Pinóquios, enquanto o mundo gira lá fora


Hoje compartilho minhas solidões poéticas com o músico, artesão e compositor Adriano Gonçalves desta vez com as fodásticas “Enquanto o mundo gira lá fora”, de letra breve e tom suave, e “Pinóquio”, crítica feroz aos mentirosos que difamam os outros. A mostra de duas canções com ritmos e estilos tão opostos demonstram a versatilidade artística de Adriano, que carregava em seu som influências do gospel ao reggae, passando pelo pop ao punk.
No vídeo de “Enquanto o mundo gira lá fora” podemos perceber a participação especial do músico amigo Zé Ricardo e imagens da Serra das Araras, rodovia que liga o Rio de Janeiro a Valença, rodovia por onde o inquieto Adriano sempre passava com sua ânsia de rodar e conhecer o mundo. O vídeo de “Pinóquio”, gravado no ensaio de Fael Campos & Zé Ricardo, mais uma vez revela a influência do artista de Nova Iguaçu/RJ no repertório dos músicos valencianos. Ainda deixo um terceiro vídeo, uma versão completamente diferente da canção “Pinóquio”, sem a letra e com um ritmo ‘dub’, gravado na época em que Adriano fazia parte da banda Dezabutinados (possivelmente a canção foi uma parceria com os demais músicos da banda).
Enquanto o mundo gira lá fora, a arte continua aqui dentro de nós. Ainda temos a revolução na mente, Adriano, não estagnaremos nessa levada.   

Enquanto isso o mundo gira lá fora

O amanhã,
O céu que se abriu
Em constelações
Vulcões
Tantas coisas dentro da minha cabeça
O sentimento quase sempre aflora
Pensamentos giram na minha cabeça
Enquanto isso o mundo gira lá fora
Enquanto isso o mundo gira...



Pinóquio

Se eles pensam que vai ser assim,
Daqui pra frente não vai dar.
Se eles pensam que nós vamos ser
‘Domiciliar’,
Revolução tenho na mente,
Não mandei alugar;
Sei muito bem, meu ‘cumpadi’
O que é QI
E não zoar.
Difamar por aqui
Não vale do nosso lado.
Se quer saber,
Não estagne nessa levada.
Mentiroso, Pinóquio,
Não me venha de facada;
Essa sua língua envenenada
Para mim não vale nada,
Não estagnei nessa levada!




Um comentário:

  1. Enquanto em meu mundo penso no mundo, o mundo gira lá fora!
    Valeu, meu lindo Adriano Gonçalves! :/

    ResponderExcluir