quarta-feira, 13 de abril de 2016

Solidões Compartilhadas (Instrumentais): A Magia Lírica na Harpa e no Violino de Bárbara Cunha

Yeah, amigos leitores, hoje é dia de, pela primeira vez no blog, da poesia sem palavras, da magia lírica da música instrumental: hoje compartilho, pela primeira vez, minhas solidões poéticas com a mais-que-fodástica divartistamiga Bárbara Cunha, instrumentista voltarredondense, rainha da harpa e do violino. E há um motivo super-especial para isso: Bárbara Cunha foi selecionada com muitos méritos entre as dez melhores instrumentistas que concorrem ao Prêmio Olho Vivo 2016 (os 3 mais votados classificam-se para a finalíssima – quem curtir e quiser dar um apoio a ela, é só clicar, fazer o login e votar no seguinte link: http://www.olhovivoca.com.br/enquetes/130/instrumentista-em-quem-voce-vota-para-receber-o-premio-olho-vivo-2016/ ) e o blogueiro que vos fala recomenda que os amigos leitores conheçam um pouco mais de seu talento. Para isso, compartilho hoje no blog alguns vídeos com trechos de apresentações de Bárbara Cunha, em versões solo e em incríveis parcerias.

Deixemos a música sublime da divartistamiga Bárbara Cunha e de seus parceiros divartistamigos nos levar aos caminhos líricos do sonho e do melhor dos mundos possíveis (o universo maravilhoso da arte), amigos leitores!










Nenhum comentário:

Postar um comentário