terça-feira, 19 de agosto de 2014

Cem Poemetos de Solidão: Poemeto XCVIII

XCVIII

Não posso nem pensar em morrer que a Eternidade, ciumenta, vem logo me bater.


Nenhum comentário:

Postar um comentário