segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Cem Poemetos de Solidão: Poemeto XCVI

XCVI

Além de inventarem minha morte, agora disputam minhas cinzas imaginárias. Gente mais biruta! Tenho convicção absoluta de que, mesmo diante do fogo mais voraz, meus hipotéticos restos mortais teriam um tom colorido, pois seriam as sobras reais de mim mesmo, o brinquedo mais fictício e mais bem feito da minha fábrica de realidade fantástica sem freio.


Um comentário:

  1. Uauuu sensacional, lindo, lindo de viver...
    Parabéns querido mestre!!!

    ResponderExcluir