sábado, 23 de janeiro de 2016

Solidões Compartilhadas: Abraços e há braços no lirismo de Patricia Jacinto Vasconcellos

Hoje tenho o prazer incomensurável de compartilhar solidões poética com uma velha amiga de Valença/RJ, Patricia Jacinto Vasconcellos, que se revelou uma fodástica poetamiga, desde o evento "Foda-se! A Festa" (cujos vídeos estarão em breve no blog), realizado pelo Sarau Solidões Coletivas e pelo Coletivasom em dezembro do ano passado. No dia do evento, Patricia me mostrou uma agenda dela, enriquecida por fodásticos poemas de sua autoria, revelando sua grandiosa faceta lírica.
Dias depois, a meu pedido, a poetamiga me enviou um de seus poemas, o fodástico "Abraços e há braços" (reparem no genial jogo de palavras que já é lançado ao leitor a partir do título), que compartilho hoje com os amigos leitores.
Que nossos olhos abracem o maravilhoso poema de Patricia Jacinto Vasconcellos e afastem do coração os braços rudes que tanto nos causam dor! Abraços e Arte Sempre, amigos leitores!

Abraços e há braços

Abraços e
Há braços
Abraços apertados
Que nos enchem de amor!
Há braços rudes
Que nos causam dor!
Abraços carinhosos
Que nos enchem de calor!
Há braços brutos
Que nos causam pavor!
Abraços aconchegantes
Que nos aquecem!
Há braços cruéis
Que nos prendem!
Abraços inesperados
Que nos surpreendem!
Há braços fortes
Que nos entorpecem!
Abraços fraternais
Que nos fazem prosseguir!
Há braços fracos
Que nos fazem desistir e sucumbir!
Abraços de urso
Que sufocam!
Há braços amigos
Que nos suportam!
Abraços falsos
Que nos fazem chorar!
Há braços fortes
Que nos fazem acreditar!
Abraços hipócritas
Que nos fazem sofrer!
Há braços solidários
Que nos fazem crer!
Abraços necessitam de braços
Para enlaçarem uma alma inconstante!
Há braços que precisam de abraços
Para não se sentirem tão distantes!
Abraços,
Há braços,
Abrace...



Nenhum comentário:

Postar um comentário