sábado, 5 de novembro de 2016

Relembrando o Tributo a Dylan e o Tempero de Lírico Orégano que demos ao Encontro Sarau & Dança da divartistamiga Jammy Said



É, amigos, o dia a dia segue frenético que até o ato de atualizar as postagens atrasadas do blog tem acontecido de forma vagarosa rs (lembram que, na postagem anterior, afirmei estar envolvido em 4 projetos na escola onde leciono? Pois é – com o sábado letivo, hoje de manhã, soma-se mais um projeto realizado: a Oficina de Concretismo, em parceria com a fodástica Professora de Artes Neiva, para o projeto Ninho com os quintos anos que se preparam para os desafios do segundo segmento do Ensino Fundamental, para o sexto ano - ou seja, em menos de 2 semanas me envolvi/concluí 5 projetos lírico-educativos [e ainda tem secretário municipal de Ciência e Tecnologia {pra que essa p... de secretaria extra num município declaradamente crise financeira como Teresópolis/RJ?!?} que acha que suas atividades esdrúxulas são mais grandiosas, objetivas e eficazes que as dos professores].
Hoje trago a minha participação no mais-que-fodástico "Encontro Sarau & Dança", organizado pela mais-que-fodástica divartistamiga Jammy Said. A apresentação da nova edição do mais-que-fodástico "Encontro Sarau & Dança", da divartistamiga Jammy Said, aconteceu no sábado, dia 15/10/2016, às 17h, na Praça Dom Navarro, em nova edição do Circuito das Artes de Niterói/RJ, e, é claro, meu nono livro "O Nada Temperado com Orégano (Receitas poéticas para um país sem poesia e com crise na receita)" e eu não podíamos ficar de fora desse espetacular evento!
No vídeo que posto hoje no blog, registro 2 momentos especiais de minha participação no evento: Em um dos momentos dos quais participei no Encontro, tive a oportunidade de homenagear o mais recente Prêmio Nobel da Literatura, o Mestre Bob Dylan, acompanhado pelo violão do mais-que-fodástico artistamigo Rafael Almeida, criador do Feira Moderna Zine e integrante das bandas Inércia SG, 99 Shots, Prjt Eletroacústico e tantas outras fodásticas bandas. Em outro, declamo o poema "Eu vi um poema de Bukowski", em homenagem ao Mestre-Poeta-EscritorFoda-Pra-Caralho Charles Bukowski (inicialmente essa parte do vídeo está com o áudio afetado, por obstrução no microfone da câmera).
As gravações desses dois fodásticos momentos só foram possíveis graças à filmagem do poetamigo Sergio Almeida, mais conhecido como Jardim. As fotos são das lentes líricas do poetamigo Paulo de Carvalho, Jammy Said e Rafael Almeida.

Espero mais uma vez que gostem, curtam e compartilhem, amigos leitores! Até breve e Arte Sempre!

Nenhum comentário:

Postar um comentário