quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

A Esquizofrenia Comum Nossa de Cada Dia (e do livro "Foda-se! E Outras Palavras Poéticas...")

Hoje trago aos amigos leitores mais um poema do "Foda-se! E Outras Palavras Poéticas..." , meu oitavo livro, finalista no Prêmio Olho Vivo 2015 (cujo resultado será divulgado na sexta-feira, dia 19 de fevereiro, em cerimônia de gala, no Teatro Gacemss, em Volta Redonda/RJ, a partir das 20h):  o  "Esquizofrenia Comum", considerado o poema preferido de, pelo menos, dois amigos leitores (da Luana Barros 'Cavalera' e da Dirce Assis).
Além do poema, também trago uma versão em vídeo que registra mais um momento super-especial da minha participação, representando o Sarau Solidões Coletivas, na II Virada Poética de Volta Redonda, organizada por Carlos Eduardo Giglio, no sábado, dia 16 de janeiro de 2016 (puxa, já se passou mais de um mês, como o tempo passa rápido, amigos!), na Toca do Arigó, em Volta Redonda/RJ: acompanhado pelos músicos-amigos voltarredondenses Dio Costa e Thales Arakawa, declamei (pela primeira vez ao vivo) o meu poema "Esquizofrenia Comum”.  O vídeo traz como introdução uma parte da entrevista de Luana Barros "Cavalera'  declarando que o poema "Esquizofrenia Comum" era o seu preferido do livro (este trecho 'sobrou' na edição final do clipoema-documentário "Foda-se! E Outras Palavras Poéticas..." e se tornou um extra de abertura deste vídeo). A filmagem está completamente escura, só dando pra observar uma luz psicodélica, posicionada um pouco acima de mim, mas vale como registro da declamação e do fodástico arranjo feito por Dio Costa e Thales Arakawa de improviso.
Em tempo: meus dois livros mais recentes - o sétimo, "Bebendo Beatles & Silêncios" (2013), livro terceiro colocado no Concurso "Poetizar o Mundo com livros" 2014, e o oitavo "Foda-se & Outras Palavras Poéticas" (2014), livro finalista do "Prêmio Olho Vivo 2015 - Categoria Livro" - agora estão à venda na Livraria Veredas (Rua 14, nº 350, lj 59 - Pontual Shopping - 2.° Piso - Vila Sta Cecília. Volta Redonda/RJ)!!! Amigos e artistamigos de Volta Redonda/RJ e região, aproveitem a oportunidade para adquirirem já os seus exemplares!
Espero que gostem, amigos leitores! Boa leitura e Arte Sempre!

Esquizofrenia comum

“Aflito, aflito, amargamente aflito,
Num gesto estranho que parece um grito.”
Cruz e Sousa, “Pandemonium”

A raiva nos batimentos cardíacos, acos-
tumados com o sei lá de sentir, tir-
ados, atirados
numa saudade de emoções inexistentes
É tão difícil compreender a fuga
pensar nas palavras que não foram ditas
malditas
Não ser bom em português
não compreender a imperfeição do pretérito
Teu passado é uma presença
uma volta
revolta
circulando num mundo que gira eternamente
pro mesmo lugar
pra lugar nenhum
e os pés traem
estão cansados, querem parar
Talvez a morte seja esta continuação
querer sair da dimensão do quarto
abrir a porta, fazer um parto
e chorar, sem motivo, apenas chorar
mas quando a última lágrima cai
nos teus pés imóveis
percebes que negaste a tua única salvação
que é fugir do teu medo
e te libertar desta estranha prisão
que é o teu próprio coração.






Um comentário: