terça-feira, 25 de junho de 2013

Solidões compartilhadas: O poema enojadinho de Raquel Jonhs

Ela já apareceu por aqui como Clarice Raquel Starling... hoje reaparece compartilhando suas solidões poéticas como Raquel Jonhs, com suas mil e uma facetas líricas, com um poema meio-maysa-muito-vinícius-bastante-rita-lee-menino-bonito-um-pouco-Caetano-menino-do-rio, um poema enojadinho pro menino enjoadinho, um poema cheio de labirintos-palavras-em-trocadilhos, mais um poema arrasador da fodástica femme fatale Raquel Jonhs, ou pirada Clarice Raquel, ou o que quer que sempre vai nos surpreender.
Surpreendamo-nos com o que não é óbvio, amigos leitores!

Enojadinho

Surpreenda-me com o único, com o inexplorável, com o que ainda não foi descoberto.
Com o que não é aplaudível, com o que não é sutil, com o que não é óbvio.

Seja um menino bonito que não me enjoe
Um menino “buuunituuu” que me diga o além do nada

E que me faça se não paixão,
Escancarar de emoção
E vindo a ser uma ilusão
Faça valer a pena para que eu não destrua o seu coração

Enjoadinho ou não venha de mansinho
Pois se falar no “ão” eu fico com tesão

E no tédio, Menino enjoadinho,
Não me deixe enojadinha
Faça algo para eu pirar
E eu... não me entediar

Nenhum comentário:

Postar um comentário