domingo, 7 de setembro de 2014

Solidões Compartilhadas: Os Poemas Coletivos de Solidariedade dos Poetalunos do Alcino

Há tempos, não escrevo aqui no blog, devido a uma série de compromissos literários. Mas hoje é dia da (teórica) Independência do Brasil e é momento de renovar nossa poesia do dia a dia. Pra marcar esse retorno, nada melhor que trazer os 4 poemas coletivos sobre solidariedade, construídos pelos artistalunos dos oitavos e nonos anos da Escola Municipal Alcino Francisco da Silva, da região rural de Teresópolis/RJ. Os poemas foram escritos no Desafio do Conhecimento (o nome em inglês eu nunca gravo rs), projeto idealizado pelo professor de Inglês Daniel Coelho, com algumas etapas de Português elaboradas por mim.
Os 4 poemas coletivos foram tão bem escritos e tão marcantes que definiram a pontuação final do Desafio e ainda foram apresentados no nosso Festival Literário e incluídos no inspirado vídeo da Campanha #Doeseuagasalho, idealizada pelos alunos do nono ano A, cuja ideia foi apoiada pelo Grupo Luz, Câmera... Alcino! (tanto a apresentação no Festival Literário do Alcino quanto o curta-metragem podem ser encontrados em postagens anteriores aqui no blog) 
E só mais uma notícia para aqueles que não creem no ensino lúdico com arte e com aulas de interdisciplinaridade: neste ano, os artistalunos, professores e equipe diretiva da Escola Municipal Alcino Francisco da Silva bateram mais uma vez a meta de Ideb estipulada pelo Governo Federal para 2015 (ou seja, estamos 2 anos à frente do crescimento projetado). Educação com Arte Sempre, amigos leitores!

Uma luta diária,
uma ação voluntária,
algo que possa mudar
as tragédias em qualquer lugar.

Existem pessoas que não podem ter
nem aquilo o que comer,
que não têm o que fazer
para poder sobreviver.

Queria apenas ajudar
aqueles que não tem força pra lutar;
queremos dar sem a intenção de receber,
vamos fazer a diferença!
(Grupo Verde)

Solidariedade

Não é questão de fortuna,
não é questão de não ter tempo;
é questão de querer ajudar,
caminhar de mãos dadas
na linha do tempo que se chama vida.
Não é por cor, nem por raça;
é questão de amar
sem pedir nada,
é olhar para o céu
e saber que depois da chuva
vem o arco-íris
e o arco-íris somos nós! 
(Grupo Laranja)

Uma lágrima, um sofrimento,
uma dor, um sentimento,
pessoas em lamento,
enquanto outros vivem divertimentos.

Mas, além disso tudo,
tem pessoas que podem
ajudar,
compartilhando carinho,
solidariedade,
com isso podemos mudar
o mundo com Amor!
(Grupo Vermelho)

Por que pensar só em si mesmo,
Quando há um mundo lá fora esperando por ajuda?
Qualquer tipo de ajuda:
Um abraço,
Uma palavra
Que conforte o coração de alguém.
Um simples ato de solidariedade
Pode fazer a diferença...
Se queremos mudar o mundo
Vamos começar por nós,
Fazendo a diferença!
Com um gesto,
Uma palavra de solidariedade
É que podemos começar
A mudar a humanidade!
(Grupo Preto)


Um comentário:

  1. Parabéns pela iniciativa professor!!
    Belíssimos poemas!

    Precisamos abraçar o mundo, com muito amor!

    ResponderExcluir