quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Metacanto Premiado: O meu Moinho Poético

Yeah, amigos, como eu dissera no facebook, há alguns dias atrás, as novidades não param!!! Meu poema “Moinho poético”, que foi finalista no III Concurso UPPES de Poesias em outubro de 2004 e publicado em meu quinto livro “Eu & Outras Províncias – Progressos e Regressos” (2008), 11 anos depois, volta a brilhar num concurso literário e conquista a honra de conquistar o Destaque Especial no Concurso Metacantos 2015 (voltado a metapoemas – poemas que falam do fazer poético), da Editora LiteraCidade, ganhando como premiação a publicação em uma antologia.
Mais uma vez, consegui destacar um filho-poema meu e levar o nome de nossa querida Princesinha da Serra, Valença/RJ, para mais um concurso literário!
Como não tenho como fornecer exemplares a todos os amigos leitores posto hoje o premiado poema no blog para degustação/crítica dos amigos leitores.
Bom Fodástico Dia e Arte Sempre!

Moinho poético

No moinho dos sonhos reais,
A vida é transformada.

Palavras que escapam,
Sobreviventes da angústia e do prazer,
Cortam as folhas do caderno do mundo.

A pena rebelde tinge de sangue a acomodação.

O pulso versificado,
O coração em estrofes,
Vozes silenciosamente flutuantes,
Pensamentos altos que se abaixam aos nossos olhos,
Razão e sensibilidade que dançam num ritmo incomum.

            É o bom silêncio,
            É a parede que tem ouvidos,
            São os versos,
            Estão em mim.

                     A realidade é uma invenção do homem.
                     A poesia é a realização de um deus.


Nenhum comentário:

Postar um comentário