sexta-feira, 2 de junho de 2017

Demorou, mas chegou: Os vídeos do Sarau Solidões Coletivas In Bar: O retorno dos anjos caídos!

Yeah, amigos, finalmente chega ao blog os vídeos do Sarau Solidões Coletivas: O retorno dos anjos caídos! Demorou quase 3 meses pra chegar, mas chegou (ufa!)!!!
A convite da divamiga Rose Almeida, na sexta-feira, após o carnaval, dia 03/03/2017, às 19h, no Restaurante Variedade & Sabor, situado na Travessa 27 de Janeiro, n.º 128, no bairro Água Fria (próximo ao posto e ao batalhão da PM, em frente ao ponto de ônibus), retomamos a atividade lírica com o "Sarau Coletivas In Bar: O retorno dos anjos caídos", em comemoração à vitória do meu vídeo-poema "Anjo Caído" no Londrix Festival Literário 2017, com Tributo Poético às musas do Rock Brasil (sugerido há tempos pelo músico-amigo Emanuel Coelho).e homenagem lírica ao tio João Gomes (in memoriam), falecido no início do dia, após uma árdua luta contra o câncer.
A festa lírica, realizada com empolgação, dor, folia e superação, marcou de forma inesquecível o retorno do Sarau Solidões Coletivas. Foi fodástico, é um daqueles momentos mágicos, impossíveis de se esquecer, num novo espaço acolhedor e sublime!


Nesse primeiro vídeo do evento,  me apresento com Ronaldo Brechane (estreando nos violões); Gilson Gabriel, Giovanni Nogueira e Patricia Vasconcellos apresentam seus poemas e Emanuel Coelho mostra uma de suas composições e fodásticas versões de canções de Cidade Negra e de LS Jack.


Nesse segundo vídeo do evento, Dirce Assis homenageia Rita Lee; o músico amigo Gabriel Carvalho homenageando o rock nacional e internacional, interpretando canções de Capital inicial, Nirvana (com participação de Davi Barros no violão e em homenagem à nirvanática Karina Silva) e outros, além de músicas próprias; Carlos Brunno faz seu tributo em forma de conto à canção “Camila, Camila”, de Nenhum de Nós; Juliana Guida Maia declama canção composta por Humberto Gessinger. Gilson Gabriel  declama poema palestino de combate e Emanuel Coelho e Gabriel Carvalho brilham em harmônica parceria musical, cantando clássicos do rock nacional e internacional. Esse segundo vídeo ainda traz nos primeiros minutos a filmagem ‘experimentalírica’ do jornalistartistamigo Giovanni Nogueira.


Nesse terceiro vídeo, mais curto e colocado em separado dos demais, por se tratar da homenagem a João Gomes (in memoriam), Carlos Brunno declama a elegia escrita ao tio falecido e Gabriel Carvalho, Emanuel Coelho e o público cantam “É preciso saber viver”, do Rei Roberto Carlos, intérprete favorito do homenageado.


Nesse quarto vídeo, o mestre-poetamigo Gilson Gabriel declama poemas de sua autoria e de outros autores, sozinho e acompanhado do violão psicorrockdélico de Zé Ricardo; Giovanni Nogueira revisita o hit da sua banda Gardenal “Supercílios” em nova versão acústica; a artistamiga declamadora e contadora de histórias Dirce Assis brilha mais uma vez; o músico amigo Zé Ricardo interpreta fodásticas canções do rock nacional e internacional (com direito à participação especial de Giovanni Nogueira numa releitura de um clássico grunge do Nirvana); e, acompanhado de Zé Ricardo, declamo meu poema Eu vi um poema de Bukowski”.  As filmagens destes momentos foram realizadas pelas lentes líricas de Juliana Guida Maia e Karina Silva.


Nesse quinto vídeo, vemos os momentos finais do sarau: o músico amigo Zé Ricardo interpreta canções de Legião Urbana e O Rappa com participações lírico-musicais mais que especiais de Emanuel Coelho e Davi Barros e a divartistamiga Ana Vaz encerra o sarau interpretando à capela uma fodástica canção da diva do samba e da MPB valenciana Clementina de Jesus.
As filmagens destes momentos foram realizadas pelas lentes líricas de Juliana Guida Maia e Isabel Cristina Rodegheri.

Nenhum comentário:

Postar um comentário