sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Relembrando Grandes Momentos do Sarau Feira Moderna 7 no Metallica Pub, em São Gonçalo/RJ

Yeah, amigos, sei que estou, mais uma vez, há algum tempo desaparecido do blog. Mais uma vez, os afazeres da vida não-virtual me deixaram bastante sobrecarregado: durante o tempo que sumi desse espaço lírico-virtual estive em 1 protesto contra uma maldosa lei municipal que retirava benefícios dos funcionários públicos de Teresópolis/RJ, passei um bom tempo editando alguns vídeos de eventos culturais dos quais participei, curti o lançamento do livro "Luar da Meia-Noite", do espetacular poetamigo Walter Menezes, na Academia Valenciana de Letras, em Valença/RJ, estive confirmando novos compromissos culturais/artísticos, organizando textos para participar de concursos literários e ainda realizei ou dei continuidade a cerca de 4 projetos na escola onde leciono (1 reunião do Clube do Livro Alcino Voraz sobre o primeiro livro da saga Divergente, 1 elaboração de vídeo para o Projeto Ninho com interação de repórteres-alunos do 5.º e do 9.º Ano, 1 Sarau de Terror com a turma da Aceleração V, 1 gravação de vídeo com o 4.º Ano [todos esses projetos em breve receberão postagens], além das aulas e atividades regulares – e ainda tem secretário municipal e políticos brasileiros que acham que nós, professores, temos muitas ‘regalias’ e ‘trabalhamos pouco’, aff). 
Por isso, retorno ao blog com tanto atraso – é, vai demorar um bom tempo para eu postar tudo que desejo e tenho pra trazer a você, amigo leitor.
Pra começar, trago uma postagem que já está super-atrasada: os vídeos da sétima e mais recente edição do mais-que-fodástico Sarau Feira Moderna, organizado por Rafael Almeida, no Metallica Pub, em Porto Novo, São Gonçalo/RJ, no sábado, dia 11 de outubro, véspera do feriado. Fui ao espetacular evento representando o Sarau Solidões Coletivas, de Valença/RJ, afinal não podia ficar de fora dessa fodástica festa lírica e registrar parte deste espetacular evento!
Abaixo, trago os 6 vídeos que apresentam grandes momentos meus e dos artistamigos que fizeram parte do mais-que-fodástico Sarau Feira Moderna 7. Espero que gostem, curtam e compartilhem, amigos leitores! Até breve e Arte Sempre!



Nesse primeiro vídeo, registro a participação mais-que-fodástica da divartistamiga Jammy Said, que encantou a todos com sua dança e com a leitura de seus poemas, publicados em antologia organizada pela artistamiga Lucilia Dowslley.



Nesse segundo vídeo, registro parte da apresentação da banda The Cat's Revenge, fodástico projeto paralelo idealizado por integrantes da da também hiper-fodástica banda Frogslake.



Nesse terceiro vídeo, registro minha parceria lírico-musical com a banda The Cat's Revenge, fodástico projeto paralelo idealizado por integrantes da da também hiper-fodástica banda Frogslake.
O  The Cat's Revenge fez um instrumental vibrante e liricamente vertiginoso, enquanto eu declamava "Inverno Íntimo", poema de meu nono livro "O nada temperado com orégano (Receitas poéticas para um país sem poesia e com crise na receita)"



Nesse quarto vídeo, registro minha parceria lírico-musical com Evangelina Costa e Rafael Almeida - no meio da interpretação deles para a canção "Love Me Do", da banda The Beatles, fiz uma intervenção poética com "Eu me sinto um Beatle quando te beijo", poema que encerra o meu sétimo livro "Bebendo Beatles & Silêncios". Além desse momento, o vídeo contém a fodástica interpretação de Evangelina Costa e Rafael Almeida para o clássico hit "Armadilha", da saudosa e fascinante banda brasiliense Finis Africae.



Nesse quinto vídeo, registro minha parceria lírico-musical com Van Torres e Rafael Almeida - no fim da interpretação deles para a canção "In Between Days", da banda The Cure, fiz uma intervenção poética com "Pretérito Imperfeito", poema de meu quarto livro "O último adeus (ou O primeiro pra sempre)". Além desse momento, o vídeo contém a fodástica interpretação de Van Torres e Rafael Almeida para o clássico hit "Born To Be Wild", da banda Steppenwolf.




Neste sexto vídeo, registro 2 momentos especiais do show do mais-que-fodástico rockfriend Xande McLeite: quando ele interpreta a sua fodástica canção "1.º de Maio", de seu EP mais recente e música atualmente selecionada na coletânea nacional "Rock Soldiers", e a releitura acústica de sua antiga canção "Cenas", da época em que era integrante da banda Destino Ignorado (houve um terceiro momento que eu gostaria de ter registrado, no qual fiz uma parceria lírico-musical com Xande McLeite - no meio da interpretação dele para a sua canção "No tempo dos dinossauros", fiz uma intervenção poética com "O escritor, enlutado, a vida ativa", poema de meu nono livro "O nada temperado com orégano [Receitas poéticas para um Brasil sem poesia e com crise na receita]", mas infelizmente a minha máquina descarregou um pouco antes de nossa parceria acontecer).

Nenhum comentário:

Postar um comentário