domingo, 22 de maio de 2016

Solidões Compartilhadas: No Mar e na Turbulência do Lirismo Fascinante de Thayslane Freitas

Thayslane Freitas
Ela foi uma das poetalunas da Escola Municipal Alcino Francisco da Silva com uma das produções poéticas mais diversificada e mais febril, fez aniversário há pouco tempo (dia 16 de maio) e merece ser eternamente homenageada pelo blog: estou falando da mais-que-fodástica poetamiga teresopolitana Thayslane Freitas, cuja poética vibrante e fascinante marcou e ainda marca forte presença lírica aqui no blog e aos olhos encantados do professor-poetamigo-blogueiro que vos escreve.
Thayslane no Sarau Professora Rosa Amélia
em 2014
Constantemente presente nas Solidões Compartilhadas deste blog, Thayslane Freitas fez aniversário há pouco tempo, mas quem comemora lendo os seus presentes-poemas somos nós, amigos leitores. Para essa nova solidão compartilhada com ela, relembro dois fodatiscamente maravilhosos poemas de Thayslane, que mostram a versatilidade e regularidade lírica acima da média da autora: “No mar”, homenagem lírica ao compositor Dorival Caymmi, escrita em 2014, um ano após ela ter concluído seu ciclo na Escola Municipal Alcino (mesmo já em outro colégio, a poetamiga, acompanhada das artistamigas Alana Gomes e Caroline Almeida, fez uma super-participação mais-que-especial no Sarau Professora Rosa Amélia daquele ano); e “Turbulência”, poema escrito em 2013, quando ainda era minha poetaluna, para o trabalho de produção textual envolvendo descrições líricas de sentimentos em harmonia com a natureza (escritos após assistirem ao filme “De encontro com o amor [“Shadows in Sun”]). E essa não é nem de longe a última solidão compartilhada com Thayslane Freitas, pois, além de vários outros poemas dela que ainda tenho comigo, a poetamiga constatemente me envia novos poemas, cada mais maduros e mais fodásticos!
Boa leitura, amigos leitores! Celebremos com olhos fascinados a eternidade e vibração dos mais-que-fodásticos poemas de Thayslane Freitas!

No mar

Não dá mais pra voltar
Entrei nesse barco
E agora estou em alto mar

Olhar para trás é inútil
Já o deixei no passado
Querer-te agora é idéia fútil

Tô atravessando o mar da evolução
Procurando outras terras
A felicidade pro meu coração
Thayslane Freitas

Turbulência

Estou no alto
voando nas lembranças
imaginando você do meu lado

banhando-me da luz forte
e do calor,
lembrando que  contra o frio me aquecia.

Barulho, confusões em minha mente,
mas nem isso tira minha atenção,
vejo o verde intenso nessa imagem

e o caminho que me leva a você
me assombrando,
pois agora não posso ver você...

As nuvens enfurecidas varrem
o mais lindo azul,
a brisa é calma,
mas tudo continua turbulento,

vozes altas atormentam
meus ouvidos
- lamento poder
e não tê-lo seguido.
Thayslane Freitas


Nenhum comentário:

Postar um comentário