sábado, 13 de junho de 2015

Só lutando podemos mudar a falta de futuro do desgoverno teresopolitano: Acompanhando a luta dos servidores públicos de Teresópolis

Foto de Marco DaCosta
Há muito tempo eu vivi calado, mas agora resolvi falar: chegou a hora e com o (des)prefeito Arlei Teresópolis/RJ não pode mais ficar!
Confesso que no início vacilei, hesitei... O movimento seria válido? Lutar, esperar, desesperar? Na ausência de respostas, estagnei, esqueci a velha máxima “quem sabe faz a hora, não espera acontecer”. Enquanto isso, os donos do poder - prefeito, sindicato patronal e vereadores de Teresópolis - mantinham-se serenos, colhendo os frutos da impunidade no jardim da minha acomodação. Enquanto isso, os salários do funcionalismo público continuaram atrasando, rombos nos cofres públicos, governantes ostentando novas posses e nenhum respeito com aqueles que os elegeram, com aqueles que deveriam ser representados por eles, os poderosos e omissos seres desse cenário político sujo da região serrana. Enquanto isso, outros funcionários públicos, muito mais conscientes, organizados e corajosos que eu, se colocaram no meu lugar, sofreram as minhas dores, foram pra luta e formaram um movimento legítimo de reivindicação dos nossos direitos, autenticado pela insistência, sabedoria e resistência. E eu, logo eu, que sempre defendi que meus alunos lutassem por seus direitos, logo eu, o primeiro a bradar por honrados protestos contra o abuso de poder e os desgovernos, logo eu, me passando por passivo, omisso... covarde? É duro e difícil continuar a encarar-me no espelho assim. Por isso, fui pras ruas hoje, fui pra frente da Prefeitura, me juntar ao MPET - Movimento Professores pela Educação de Teresópolis, participei da assembleia e, a partir de agora, os acompanho e apoio seus passos. Só podemos mudar nosso trágico cenário se intervirmos nele, nada muda se não lutarmos. E agora estou com eles, amigos, alunos, responsáveis e companheiros de trabalho (falamos tanto das injustiças, nos declaramos solidários aos professores do Estado do Paraná e do Rio de Janeiro e, na nossa vez, logo na nossa vez, vamos arregar?) e vamos lutar até os desgovernos serem banidos de Teresópolis e o respeito aos nossos direitos voltar aos ares serranos.    

Nenhum comentário:

Postar um comentário