domingo, 22 de março de 2015

Sábado de sonhos, sonetos e versos soltos: Sarau Solidões Coletivas no Grande Circuito Cultural do Movimento Identidade Cultural, FEBLACA e ANBA

No sábado, dia 21/03, a partir do meio-dia, aconteceu o Grande Circuito de Cultura do Movimento Identidade Cultural, FEBACLA e ANBA, no Restaurante Bela Vista, em São Gonçalo/RJ. 
Durante o evento, tive a oportunidade de assistir a grandiosas apresentações artísticas e realizações sociais de todos os tipos (teatro, poesia, artes plásticas, práticas esportivas para menores carentes, o lançamento do tão esperado livro de poemas “Versos Soltos”, da fodástica escritoramiga Janaína da Cunha, etc). Tive a honra, também, de ser premiado nas solenidades realizadas pelas entidades culturais responsáveis pelo evento: indicado pelo Movimento Identidade Cultural, fiz parte da lista dos contemplados com a Medalha Qualidade Ouro, dada a artistas e ativistas do Estado pela diferença que fazem - através de suas atividades e projetos - em nossa sociedade.
Nesta postagem, tenho o orgulho de lembrar que fiz parte desse fodástico evento cultural, que me proporcionou o privilégio de me apresentar ao público gonçalense, representando o grupo Sarau Solidões Coletivas, de Valença/RJ, nesse fodástico evento cultural, idealizado pela super-artistamiga Janaína da Cunha e sua formidável equipe.

O vídeo contém a minha apresentação, declamando o "Soneto Espancado", poema de meu quinto livro "Eu & Outras Províncias" (2008).


Soneto Espancado

Não. Nem cantigas de amor, nem de amigo;
Trago apenas um soneto de angústia,
Quatorze versos de abandono e fúria,
Métrica das dores que vêm comigo.

Rasga os versos se evitas o que digo;
Rasga-me! Estou pronto para a renúncia
(Já conheço-a até com certa volúpia).
Na casa da ilusão, não faço abrigo.

Mas, se atentares pra estas linhas tortas,
Verás que este meu frio também comportas
No oculto do peito, no obscuro da alma.

Chora, flor bela, chora cada espinho
Destes versos sem calor, sem carinho;
Sente... assenta... neste jardim sem calma.



Um comentário: