terça-feira, 31 de março de 2015

Mais uma dose lírica? É claro que eu tô a fim!!! Sarau Solidões Coletivas Exageradas foi fodástico demais!


Aconteceu no no sábado, dia 28/03/2015, às 17:30h, na Biblioteca Municipal D. Pedro II, no Centro de Valença/RJ (em frente ao Shopping 99), mais uma fodástica festa lírica do Sarau Solidões Coletivas, o ""Solidões Coletivas Exageradas:A nossa arte a gente reinventa com lágrimas no paraíso pra se distrair", um tributo lírico a Cazuza, Eric Clapton, Cecilia Meireles e Nicia Cadinelli. Mais um evento de sucesso, organizado pelo Sarau Solidões Coletivas e Coletivasom!

Abaixo, compartilho os vídeos deste fodástico evento e o vídeo De uma entrevista super-bacana feita comigo pela galera do Canal Coletivasom (Davi Barros Azevedo, Wagner Monteiro e Paulo Roberto Gonçalves), durante os preparativos do mais recente evento do Sarau Solidões Coletivas - o "Sarau Solidões Coletivas Exageradas"! !

Neste primeiro vídeo, Gilson Gabriel apresenta suas “reinvenções” poéticas, em resposta à ideologia de Cazuza; Gilda Maria Rachid Dias apresenta seu poema-diálogo com Cazuza e declama um fodástico poema agnóstico de seu poetamigo português Ribadouro Campos;  eu declamo poemas e canções de Cazuza e Cecília Meireles; o retorno de Isabel Cristina Rodegheri com seus fodásticos haicais e microcontos; o retorno de Déia Sineiro, com seu poema-ode homenageando os artistamigos do Sarau Solidões Coletivas; Patricia Corrêa declama poemas de Cecília e outro, inédito e confessional, de sua autoria, escrito durante o evento (!); Wagner Monteiro comanda a festa declamando o tradicional “A vida é um saco (Então foda-se)”, de minha autoria, e outros fodásticos de sua autoria; a estréia de Nilda declamando poemas da sacola de perólas-maravilhas poéticas de Marcia Cristina (que, neste sarau, participou ainda mais ativamente nas declamações) e Juliana Guida Maia manda a letra de música – descarrego “Simpatia de giz”, de Oswaldo Montenegro.
Uma errata: No vídeo, disse erroneamente que Cazuza faria aniversário em 4 de março, quando o que eu queria dizer era a data exata: 4 de abril.

Neste segundo vídeo, Marcia Cristina declama poemas de grandes autores, como Cecilia Meireles e Mario Lago; Wagner Monteiro homenageia Chaplin e Cecilia; eu declamo poemas de João Jr., o fodástico poema cazuzístico da poetamiga voltarredondense Rosangela Carvalho e a tradução da canção “Tears in Heaven”, de Eric Clapton ; poemas novos de Déia Sineiro; Luana Cavalera, a musa lírica do underground, brilhando como sempre!; a homenagem a Nicia Cadinelli – que, infelizmente, não pôde estar presente fisicamente (mas jamais ausente liricamente) neste evento – feita por Juliana Guida Maia e Luana Cavalera; Leticia Corrêa homenageando Cecilia Meireles; Lucimauro Leite declamando o mais-que-fodástico Patativa do Assaré; Patricia Corrêa declamando poemas de sua autoria e o cinepoema de seu poetaluno Paulo Vitor; Juliana Guida Maia traz mais um poema de Cazuza, transformado em música por Humberto Gessinger; Emanuel Coelho, do Acoustic Project, e músicos amigos (como Luiz Guilherme Monteiro, Jonas Eduardo, Gabriel Carvalho e outros) homenageando Eric Clapton (com “Tears in Heaven”) e o Barão Vermelho pós-Cazuza (“Por você”).

Neste terceiro vídeo, vários poetamigos acompanhados da banda mística jam do Acoustic Project com o Broken Hearts (Gabriel Carvalho, Luiz Guilherme Monteiro, Jonas Eduardo Lopes e Cia): eu declamando poema de Luiz Guilherme, Gilson Gabriel com seu “Voo cego”, Luana Cavalera, Patricia Corrêa declamando Cartola, Wagner Monteiro com mais um poema visceral, Gilda Maria Rachid Dias. E mais: Chico Lima com a clássica “Uma pedra no meio do caminho”; Luciana Miranda com poema de Leandro Flores; a despedida de Déia Sineiro com o fodástico poema do ultrarromântico Laurindo Rabelo, meu poema “Quando Cazuza beijou Cecilia (Eduardo e Mônica em versão cazuzística com ritmo de Cecília e solos de Clapton) regado ao som de “Cocaine”, de Eric Clapton, executado pela banda mística jam do Acoustic Project com o Broken Hearts, que ainda mandou outros sons psicodélicos próprios e de outros músicos consagrados.

Neste quarto vídeo, continua rolando o show psicodélico-blues da banda mística jam do Acoustic Project com o Broken Hearts (Gabriel Carvalho, Luiz Guilherme Monteiro, Jonas Eduardo Lopes, Emanuel Coelho e Cia), com participação especial minha declamando poema de Juliana Guida Maia e o fodástico encerramento com poema rapperizado em free style por Paulo Roberto Gonçalves – o Graveto Old Style – e o som do Coletivasom em tributo a Chico Science! 


Entrevista para o Canal Coletivasom


Nenhum comentário:

Postar um comentário