terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Solidões Compartilhadas: O amor incondicional no antigo caderno de poemas de Diana Paim

Yeah, amigos leitores, o blog não para de trazer novidades: hoje resgato o antigo caderninho de poemas da super-talentosa poetamiga teresopolitana Diana Paim.
Escrito há três anos atrás, na época em que Diana ainda era minha poetaluna na Escola Municipal Alcino Francisco da Silva (foi uma das poetalunas que mais se dedicaram à escrita em 2012), seu caderno traz poemas ricos em vigorosa simplicidade (ela sempre foi fã do gênero textual crônica, o que fez a escritora sublimar o banal através das palavras) e carregados por um sentimento de amor incondicional e incontido, mas contrariado (às vezes lembrando as “Cartas Portuguesas”, de Mariana Alcoforado). Temos, através da passagem de um poema para outro, todos escritos febrilmente e em curto período [coloquei as datas dos poemas para percepção desse prazo e conhecimento do constante amadurecimento da poética da autora], o desenvolvimento do amor no eu lírico (ou retraimento, afinal a relação de paixão do eu lírico é parcial, pois não é retribuída pela pessoa amada).
E não é apenas o fato de resgatar esses poemas que faz o blogueiro que vos fala sorrir; atualmente, retomei contato com Diana Paim e recebi a grata notícia de que ela continua a escrever (até me enviou uma remessa de novos poemas, que serão colocados em outra postagem nas próximas semanas) – yeah, amigos leitores, a maravilhosa poesia de Diana Paim continua viva, flertando com a eternidade.
Em tempo: Em homenagem a essa grata notícia, os artistamigos do Sarau Solidões Coletivas declamarão alguns desses poemas (candidatos a declamarem, falem comigo nos comentários e/ou por mensagem no face) no próximo sábado, dia 28/02, às 18h, quando rolará a próxima edição do evento na Biblioteca Municipal D. Pedro II, em Valença/RJ (Rua Padre Luna, 68, sl. 101, Centro, em frente ao Shopping 99). Infelizmente, devido a distância e dificuldades de transporte (lembramos que o Sarau Solidões Coletivas acontece gratuitamente e de forma independente e, consequentemente, não possui verba, muito menos grandes apoios de entidades públicas [comumente, acontecem mais entravamentos, repulsas e/ou alheamento que apoio]), Diana Paim não estará presente, porém seus poemas continuarão a viajar pelo mundo – a arte desconhece os limites da geografia!
Boa leitura e Arte Sempre, amigos leitores!

16/07/2012
Dizem que você não é o que eu penso,
Que não merece o meu amor,
Que sou boba em pensar em você.
Mas o que fazer se eu só penso em você,
Se a minha vida está resumida a você?
Você só sabe me esnobar
E eu, boba, só sei te amar.
Eu já não sei mais o que faço
E o meu coração está aos pedaços.
Quando te vejo,
Só penso em te dar um beijo,
Só que logo percebo que é sonho,
Faço de tudo para te esquecer,
Mas, quando estou quase conseguindo,
Revejo você.
Não sou a garota dos teus sonhos,
Mas tenho uma coisa que ninguém tem:
O meu amor por você...
                                               Te amo!

16/07/2012
O amor... O que é o amor?
Será que é mais uma armadilha da vida?
Eu não sei o que é,
Mas devemos nos preparar,
Pois, quando menos esperamos, ele aparece
E, caso não seja retribuído,
É a pior dor que podemos sentir,
Mas também pode ser a maior alegria
Quando somos correspondidos.

16/07/2012
Todo amor brilha o quanto dura,
Mas, quando se acaba, vira um poço sem fundo de angústia.
Toda amizade é uma alegria e, quando vira amor,
Às vezes, pode ser um caminho de espinhos e armadilhas.
Mas, apesar de todo risco, sempre corremos atrás
E nunca desistimos da pessoa amada.

16/07/2012
Pensando em você, descobri que não tem jeito: tem que ser você!
Eu tentei, mas não consigo te esquecer.
A cada dia que passa fica mais forte,
Eu não sei por que,
Mas eu amo você,
Tudo que faço é pensando em você.
Dizem que sou louca por te amar tanto assim,
Mas acontece que é mais forte que eu.
Quando eu chego perto de você, eu não falo nada,
Porque não sei o que dizer...
Eu queria pelo menos ser tua amiga,
Mas não dá,
Porque o amor fala mais alto aqui dentro – Te amo!

17/07/2012
Estava tudo bem comigo até que você apareceu...
Nesse momento, tudo mudou, pois me apaixonei por você,
Foi amor à primeira vista
E agora tudo em mim enlouqueceu:
Eu só quero é estar com você,
Pois só com você eu posso ser feliz.
Eu te amo
E a minha felicidade só depende de você.

17/07/2012
Eu não sei mais o que faço
Se a cada dia que passa
Eu estou mais apaixonada por você,
Se tudo que faço é pensando em você,
Se durmo e sonho pensando em você.
Meu amor, tudo que eu sei é pensar em você
E, mesmo tentando tudo, você não quer nem saber...
Baby, eu te amo e só quero você...

17/ 07/2012
Quando penso em você,
Fico sem chão,
Perco a noção...
E como fica o meu coração?
Tento ser alguém que não sou,
Mas percebi que isso não adianta,
Sinto que para você não importa se eu te amo,
Mas eu não consigo dizer que te esqueci,
Porque eu estaria mentindo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário