segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Janaína da Cunha, a Protagonista dos mais belos versos da poesia universal

Yeah, amigos leitores, 2015 nem começou e já traz promessas de realizações mais que fodásticas: soube, em primeira mão, que a mais-que-fodástica artistamiga e super-ativista cultural Janaína Cunha, autora do fodástico livro - pérola lírica - “Entrega”, lançará outro fodástico livro de poemas no ano que vem, pela Editora Maple, do competentíssimo e genial poetamigo Diogo Aguiar. Yeah, amigos leitores, a poesia está a cada ano alçando maiores e mais belos voos!
Soube da revigorante notícia através da própria autora, em comentários no facebook, e, é claro, notícias boas a gente divulga aos quatro ventos pra poesia mais-que-fodástica ganhar mais asas!
Hoje tenho o prazer de compartilhar um dos fodásticos e fascinantes poemas que farão parte do próximo livro de Janaína da Cunha.
Degustem, como eu, fascinados a poética madura, versátil e fascinante da mais-que-fodástica mestre lírica Janaína da Cunha, a Protagonista dos mais belos versos da poesia universal, amigos leitores!

Já fui Joana D’Arc e a Meretriz da Esquina.
Já fui a Rainha Louca e a Virgem Maria.
Sou as diversas fases da Lua
vestida de noite ou totalmente nua.
Sou todas em uma, mas em todas A Protagonista.
Não me permito ser coadjuvante ou uma simples figurante.
Pode me chamar de metida: eu meto e me meto.
Não aceito a conformidade de padrões sistemáticos.
Com o tempo amadureci sem medo.
Tenho uma metralhadora no silêncio e flores no olhar.
Às vezes eu saio sangrando por aí
e nesse sangue vou vermelhando
todo Amor sem gosto e cor.
Roubei a pena do Papagaio Falador
e a mergulhei na sujeira da ingratidão.
Com ela escreverei versos onde os Poetas
dancem pelas ruas suas palavras desnudas...
que o Verbo emocionado seja meu chicote!
Quero uma orquestra de buzinas no engarrafamento
e o direito de me arrepender das péssimas escolhas.
Hoje despertei para chamar atenção.
Vou anarquizar os ouvidos dos hipócritas
e vomitar minhas verdades no chão.
Aquele beijo roubado de um cigarro compartilhado
joguei na privada pública e dei descarga.
A imagem do teto preto sentado na calçada
me traz nojo e irritação!
Não sei o que é pior: não realizar nenhum sonho
ou realizar alguns que tragam consequências desastrosas.
Chorei por mim, chorei por você, por eles... por nós.
É uma contradição o homem de bem brigar para ter paz.
Ai, ai meus ”ais”!!
O sorriso sincero é o maior ato de perdão.

(Janaína da Cunha)

Retrato de Brigitte Bardot pintado por Andy Warhol, em 1974, inspirado numa foto
que o americano Richard Avedon tirou em 1959 da protagonista
do filme "E Deus criou a mulher" (1956).

2 comentários:

  1. Me lembra tanto Oswaldo Montenegro:

    "...Hoje eu quero que os poetas dancem pela rua
    Pra escrever a música sem pretensão
    Eu quero que as buzinas toquem flauta-doce..."

    ResponderExcluir
  2. Nossa, meu Amigo, sem palavras...
    Obrigada pelo imenso carinho. 2015 está batendo nas portas, se Deus quiser - e sei que Ele quer - estarei em Valença lançando meu livo e Soltando os Versos pelas ruas embriagadas de Poesia da nossa bela Princesinha da Serra.
    Um grande beijo no coração de todos.
    Janaína da Cunha.

    ResponderExcluir