domingo, 10 de agosto de 2014

Solidões Compartilhadas: O Pai Universal de Irandi Marques Leite

Hoje é Dia dos Pais e não poderia encerrar as postagens desse dia especial sem deixar de homenagear os heróis que nos deram alguns dos bens mais importantes: a vida, a nossa energia vital e lírica. Como eu já postei meu poema para os pais em um segundo domingo de agosto de alguns anos atrás no blog, hoje destaco o poema de um grande poetamigo de São Luís/MA, o fodástico Irandi Marques Leite.
“No dia 9 de Agosto de 1964, meu pai, Caetano Benzinho Santos Costa Leite, faleceu em São Paulo; na época eu estava com oito anos. São 50 anos.de saudade. Ele está sempre presente na minha vida. Aproveitando a data, escrevi uma pequena homenagem ao dia dos Pais.”, declara o fodástico poetamigo Irandi.
Nos emocionemos, amigos leitores, com o lirismo emocionante do Pai Universal de Irandi Marques Leite!

PAI UNIVERSAL  (Irandi Marques Leite)

I

No espaço finito e infinito
Surge um sopro de vida
A figura concreta do PAI
Ser humano,
Nome singular.

II

Pai,
Não deves ser egoista
És fonte de energia potencial e cinética
És inquilino deste Planeta,
Onde preparas o solo, plantas árvores.

III
Pai,
És rocha suporte da família
Deves trabalhar pela paz universal
E a natureza contemplar
E a Deus,
O criador dos espaços finitos e infinitos
Deves, dialeticamente, em todos os tempos
Referenciar!

Nenhum comentário:

Postar um comentário