segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Cem Poemetos de Solidão: Poemeto XCVII

XCVII

Que a Morte me dá uns selinhos de vez em quando não nego, prezada fofoqueira, mas esse papo de que Ela me beijou pra valer não posso confirmar sem me comprometer. Sou casado com a Eternidade, a aliança com Essa está presa em minha arte, não posso remover.

2 comentários:

  1. Sensacional meu querido!!
    A eternidade com sua aliança presa na arte..
    Parabéns!!!!

    ResponderExcluir
  2. Esse eu sei de cor rs rs rs rs Lindooooo!

    ResponderExcluir