sábado, 23 de agosto de 2014

Cem Poemetos de Solidão: Poemeto XCIX (o penúltimo)

XCIX

Não morri, jovem carpideira. Parei de respirar só pra ver o quão lindo fica teu rosto diante da tristeza de minha partida inventada.


Nenhum comentário:

Postar um comentário