segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Cem Poemetos de Solidão: Poemeto XCIII

XCIII

O melhor peixe do rio não é o pescado. O melhor peixe do rio é o sábio, que não cai em armadilha fácil. O melhor peixe do rio é o que escapa da isca realista, nada nas águas da fantasia, esse é o peixe mais desejado. Pra pescar esse bicho tão difícil desse rio, brinco de atirar um anzol invisível. Minha isca? Deixar o peixe como impossível conquista pra manter a pescaria infinita.

Tela "Pescando no lago", de Leila Proença.
Mais quadros da artista em:
http://www.artmajeur.com/pt/artist/leilaproenca/collection/cenas-do-cotidiano/1165373



Nenhum comentário:

Postar um comentário