quarta-feira, 16 de julho de 2014

Solidões Astronômicas Compartilhadas: Romário Pereira no Mundo da Lua

É comum, atualmente no facebook, vermos jovens preencherem como área de trabalho a fictícia empresa “Frases & Versos”, quando não querem colocar a inventada associação VASP – Vagabundos Anônimos Sustentados pelos Pais. Na maioria das vezes, esses jovens que se colocam como trabalhadores da imaginária “Frases & Versos” ou apenas compartilham frases e versos alheios que são admirados pelo compartilhador ou somente por serem admiradores do gênero musical Rap ou usam o nome da inventada empresa apenas para evitarem a tal “VASP”. Porém, em nenhuma dessas três razões se encaixa perfeitamente o jovem e talentoso Romário Pereira – se realmente existisse uma empresa “Frases & Versos”, Romário seria um de seus empregados mais ilustres e mais dignos de pertencer a essa poética empresa.
Romário foi meu poetaluno, na época em que eu lecionava na Escola Municipal Nadir Veiga Castanheira, em Teresópolis/RJ, antes da tragédia das chuvas na região serrana, responsável pelo desmoronamento daquela fortaleza educacional. Romário era um daqueles alunos que conseguia a proeza de ser ao mesmo tempo brilhante e relapso. Brilhava nos poemas, mas sempre que podia fugia das demais atribulações do cotidiano escolar. Devido a seu lirismo ímpar, torna-se impossível esquecê-lo ou apenas lembrar das mil vezes que lhe cobrava as atividades completas no caderno. Em 2010, realizei com os nonos, dos quais Romário fazia parte, uma Oficina Poética sobre a influência da astronomia na poesia brasileira (foi uma forma se realizar aulas interdisciplinares com o professor de Ciências Thiago Saíde, que havia inscrito as turmas na Olimpíada de Astronomia [alguns eu já portei aqui, e, em breve, mais outros poemas dessa marcante oficina poética serão publicados no blog]). Apesar do atraso em sua atividade – tinha que chamar muito a atenção do poetaluno que vivia no mundo da lua -, Romário mais uma vez brilhou e produziu um poema fodástico, com uma simplicidade arrebatadora e um estilo próprio e natural. Fodástico, fodástico demais!
Mesmo após 4 anos de sua produção, o poema de Romário Pereira ainda mantém sua luz lírica e única – os poemas, a arte, meu amigo leitor, transcendem datas e prazos de validade, repousam no infinito da eternidade. Por isso, hoje compartilho minhas solidões poéticas com este fodástico poema de Romário Pereira, o mais autêntico de todos os trabalhadores da imaginária empresa “Frases & Versos” do facebook.
Viajemos ao mundo da lua com o eu lírico de Romário Pereira!

Com você

Lua,
Você é meu lugar favorito
Onde eu posso pensar
Sem medo.
Com você
Estou seguro.
Com tudo que mais gosto
Aí posso agir
Posso falar
Com a certeza
De que ninguém
Vai ver
Ou escutar.
Romário Pereira


3 comentários: