sábado, 12 de julho de 2014

Quem bate um bolão é a arte underground: Sarau Feira Moderna #1!

11 de julho, véspera da véspera do Dia do Rock, estréia do Sarau Feira Moderna, mais uma opção para divulgação da arte underground da região, com início programado para as 20h, no Metallica Pub, em Porto Novo, em São Gonçalo/RJ, previsão de participação minha, representando o Sarau Solidões Coletivas de Valença/RJ. Até aí mil maravilhas! Então vem o sufoco: a viagem de Teresópolis/RJ, onde trabalho, até Alcântara leva 2 horas a mais que o previsto. Em Alcântara, ainda me indicam o ônibus errado para Porto Novo – entrei no que só chegava na entrada do bairro. Putz, corro pra chegar! Aff, valeu, ufa, cheguei bem atrasado (os relógios denunciam 22:40 h, ou seja, atrasado pra cara...ca!), perdi os showa da banda “pessoas como nós” e de Xarles Xavier, mas cheguei, clima festivo, bora fazer a arte poética underground acontecer!
Todo o sufoco valeu demais a pena: partcipar do primeiro Sarau Feira Moderna, organizado pelo Feira Moderna Zine, foi uma experiência fodástica! Assisti a ótimos shows e ainda tive a oportunidade de interagir liricamente com a maioria dos diversos músicos que participaram do evento.

Hoje trago um vídeo com vários momentos especiais desse primeiro e super-fodástico Sarau Feira Moderna. No vídeo, há minhas apresentações declamando poemas de minha autoria e um poema premiado de Maiara de Souza, minha ex-poetaluna da Escola Municipal Alcino Francisco da Silva, atualmente no ensino médio e espalhando sua luz lírica além dos muros da escola. Além das declamações, vocês podem conferir a cantora Evangelina Corrêa, acompanhada de Rafael A., dando sua interpretação para “Ovelha Negra”, de Rita Lee, o folk fodástico da banda defolks e Xande McLeite e o músico “garoto prodígio” Guilherme José fazendo uma super-versão acústica no hit “Nos tempos dos dinossauros”, do álbum “Sou do Rock”, de Xande McLeite & Rockfriends. Outra curiosidade do vídeo, que vale a pena ressaltar: enquanto nos apresentávamos, no fundo do palco, atrás de nós, uma tevê exibia as clássicas versões cinematográficas de dois romances fodásticos da literatura universal, os filmes “1984” e “A metamorfose”.

O futebol pode estar numa de suas piores fases no Brasil, mas nossa arte underground, amigos leitores, continua batendo um bolão! Que venham outros saraus da Feira Moderna Zine! Arte Sempre!





Um comentário: