quarta-feira, 30 de julho de 2014

Cem Poemetos de Solidão: Poemeto LXXXVIII

LXXXVIII

Nunca folheei revistas de mulher pelada – a melhor nudez, pra mim, é aquela que não pode ser revelada.


Nenhum comentário:

Postar um comentário