sábado, 12 de julho de 2014

Cem Poemetos de Solidão: Poemeto LXXVIII

LXXVIII


Gosto de revisar meus originais com o meu vizinho. Vítima de envergonhado analfabetismo, meu vizinho finge ler meus escritos e, pra fingir-se de sabido, dá uma dose de fantástico realismo aos meus textos fictícios.




Um comentário:

  1. E isto acontece sempre.Não por analfabetismo puro, mas pelo analfabetismo poético,ou pela falta de tato com a leitura.Sentidos se misturam e o denotativo, convive bem com o conotativo.Acontece...

    ResponderExcluir