domingo, 6 de julho de 2014

Cem Poemetos de Solidão: Poemeto LXXIII

LXXIII

Nunca vivi sozinho, caro psicanalista, isso é uma baita mentira! Até nesta consulta, venho bem acompanhado: eis aqui meu amigo Infinito. Cresceu comigo desde menino, vive sempre do meu lado.


2 comentários: