sábado, 21 de junho de 2014

Solidões Compartilhadas: O doce lirismo no "Gosto amargo" de Leonardo André Dilly

Os fanáticos por futebol podem achar absurdo, mas encontrei mais uma vez algo muito mais valioso que um gol de Messi e muito mais vibrante que o gol de empate do atacante alemão Klose sobre Gana: descobri que mais um ex-poetaluno, desta vez da Escola Municipal Nadir Veiga Castanheira (onde lecionei de 2006 até 2010, quando a tragédia das chuvas serranas derrubaram a escola e um grande ambiente educacional desmoronou junto com ela), de Teresópolis/RJ, me revelou que não abandonou a poesia. Seu nome é Leonardo André Dilly, um dos primeiros poetalunos que conheci na minha carreira de professor, e olha que o rapaz está escrevendo cada vez melhor!
Lamento, Messi e Klose, mas o verdadeiro craque está aqui: é Leonardo André Dilly, que, apesar de o universo inteiro preferir o caminho do gramado e do mito famigerado da “Pátria de chuteiras”, prefere brilhar com a luta ferrenha e ao mesmo tempo sensível na busca da melhor palavra, em busca da manutenção de um lirismo fodástico que muitos jamais valorizaram ou perceberam.
Hoje tenho a honra de compartilhar minhas solidões poéticas com mais um fodástico poetamigo, dono de um talento único e de um lirismo sagaz e crítico, colocado em versos longos e fabulosos (como os de Álvaro de Campos, um dos heterônimos do poeta português Fernando Pessoa).
Com vocês, amigos leitores, o poema de Leonardo André Dilly, retornando das estrelas, resgatando sua fodástica poesia!

O gosto amargo

Quem nunca sentiu o gosto amargo da derrota também nunca saberá como degustar a doce vitória!
Mel na chupeta, ursinhos de pelúcia, vontade saciada, realidade mal apresentada.
Para uns serem felizes outros terão de sofrer, sempre foi assim e nunca vai deixar de ser.
O amado se tornou desejado, sentimento virou pecado, quanto mais vivo o presente mais ainda olho pro passado.
Bons tempos que se foram e que nunca voltarão, cadê aquela verdade quando me chamavam de "irmão"?
Caminhando em passos lentos ao progresso...
Ou melhor dizendo, em passos longos ao regresso.


2 comentários:

  1. Uauuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu....
    Leonardo, parabéns pelo belo texto!!!!
    Meu conselho é: persevere e continue nos brindando com o seu talento, escritor!
    Bjins literários,
    Simone Guerra

    ResponderExcluir
  2. QUE LINDO !! MUITO BOM VER ESSA MOLECADA CHEIA DE TALENTO TENDO UM ESPAÇO PARA PUBLICAR SEUS ESCRITOS.
    PARABÉNS LEONARDO !
    PARABÉNS PROFESSOR!

    ResponderExcluir