sexta-feira, 16 de maio de 2014

Solidões Compartilhadas: Esperanças e lembranças de Thayslane Freitas

Hoje, dia 16/05, é um dia muito especial! Não apenas por ser sexta-feira, início do final de semana, não apenas por ser maio, mês de sonhos, não apenas por ser mais uma data de vida e sobrevida no calendário de nossas existências, hoje o sol é mais intenso, hoje o frio é mais ardente, hoje o dia e a noite são mais líricos, pois foi no dia 16/05 que nasceu uma das poetas mais fodásticas que tive o privilégio de conhecer (e ler seus poemas em primeira mão, quando lecionava na turma dela!): a teresopolitana, jovem e eterna sonhadora poeta Thayslane Freitas.
E, como todo fodástico escritor que se preza, nesse dia especial, ao invés de lhe darmos presentes (mas, lembrando que é sempre bom dar e retribuir presentes a pessoas iluminadas como ela), é a artista que presenteia nossos olhos com mais dois belos poemas de sua autoria.
Que os ventos da eternidade continuem soprando em seu caminho lírico, fodástica escritora Thayslane Freitas!

Conto real

Vivo como num conto de fadas,
onde amo um cara de mentira,
dando amor sem ser amada
(não do modo que precisava).

Embora eu não seja do tipo princesa,
meu jeito de ser é frágil
e ainda sou uma garota
(criança brincando de crescer).

Do modo que vivo,
os sentimentos ficam frios, toscos,
falsos, sem sentido, ocos.

Sonhando com um pesadelo,
fingindo namoro (carinho)
de jeito triste, me torno modelo
preferível de sujeito solitário.

Esperança de lembrança

Em um lugar só nosso,
espero pacientemente,
exatamente como posso,

olhando a beleza do amanhecer,
lembrando sempre da confusão
boba em ver o sol nascer.

Tudo me traz tua lembrança,
te terei de volta,
tenho uma pura esperança.

Eu sei que o mundo voltará
a ter cor,
pois eu sei que novamente
serás o meu amor!


Nenhum comentário:

Postar um comentário