domingo, 25 de maio de 2014

Cem Poemetos de Solidão: Poemeto XXXV

XXXV

Acho que realmente sou um bom escritor. Quando parei um pouco de escrever, até a Morte me visitou e, desesperada, me perguntou: Por que, García, por quê?


Nenhum comentário:

Postar um comentário