terça-feira, 20 de maio de 2014

Cem Poemetos de Solidão: Poemeto XXX

XXX

Boa época aquela em que o mundo era dividido entre castristas, castrados e castradores. Quando me sentia sozinho em Nova York, na década de 1960, inventava-me como o mais ferrenho defensor do governo socialista do cubano Fidel Castro e adeus, solidão: logo, logo me serviam de companhia vários agentes capitalistas da CIA.




Nenhum comentário:

Postar um comentário