quarta-feira, 14 de maio de 2014

Cem Poemetos de Solidão: Poemeto XXIV

XXIV

O inseto de Kafka não é um ser impossível. Impossível mesmo é criar insetos impossíveis com tanta gente pisando na nossa vida, enxotando nosso valor. Quem nunca hesitou matar o sonho do outro não só torna impossível o crescimento do inseto Gregor – torna-se um ser desprezível, torna também impossível o surgimento de um novo escritor. Por isso te piso, bajulador asqueroso do só visível, inimigo público da magia do gênio criador.

A Metamorfose de Kafka adaptado em quadrinhos por Peter Kuper 

Um comentário:

  1. Viva a sociedade da metamorfose!Onde bajuladores não tem vez!

    ResponderExcluir