domingo, 11 de maio de 2014

Cem Poemetos de Solidão: Poemeto XXI

XXI

Barato bom é o da barata de Kafka. Viciado pela Metamorfose, convenci minha parceira Sherazade a um ménage à trois com meu novo amigo Gregor. Queria ver como o inseto fantástico se comportaria comigo, novato faminto, e com a mãe de Ali Babá. E, assim, minha literatura, ainda menina, virou mulher.


Nenhum comentário:

Postar um comentário