segunda-feira, 19 de maio de 2014

Cem Poemetos de Solidão: Poemeto XXIX

XXIX

Sherazade também tinha seus mil e um amantes. Para que ela não me largasse, casei-me com Mercedes e inventei mil e uma fantasias realizadas com minha nova cara metade. Senhora vaidosa dos sonhos, Sherazade não aceitou ser passada pra trás por uma mulher de carne. Tornou-se mais voluptuosa em meus sonhos, possuiu de mil e uma formas novas todo o meu corpo. Meu primeiro passo de grande escritor: inventei-me aos seres de sonho e de carne como o senhor dos grandes segredos do amor. Tornei-me tão sexy que tanto a Vida quanto a Morte me disputam pela Eternidade.




Um comentário: