segunda-feira, 29 de julho de 2013

Inch'Allah o meu poema explodirá!

Um dos filmes aos quais eu assisti, dos que baixei no fodástico blog cult “Sonata Prèmiere” e que mais me marcou neste recesso escolar foi o canadense “Inch’Allah”. Dirigido por Anaïs Barbeau-Lavalette e premiado no Festival de Berlim de 2013, o filme conta o drama de Chloé, médica canadense que realiza trabalho humanitário do lado palestino do muro que divide o país com Israel, local onde ela é espectadora das arbitrariedades cometidas na fronteira. Mas a personagem que mais me chamou a atenção não foi Chloé e sim uma das pacientes dela, a palestina Rand, que vê seu universo ser destruído pelas arbitrariedades violentas do lado israelita. “Inch’Allah” me lembrou o “Paradise Now”, outro filme que me marcou bastante e que também é muito bom, recomendo!. Outra coisa que me marcou em “Inch’Allah” foi a máxima “Quem está dos dois lados, na verdade, não está de lado nenhum”, proferida pelo irmão de Rand. Por isso que o meu poema inédito, que posto hoje, não aceitou ficar em cima do muro: meu eu lírico é inspirado na palestina Rand e isso já determina que eu escolhi um lado.
Espero que gostem, amigos leitores! Inch’Allah! 

As últimas palavras 
da mãe da Palestina

Você me dará boa tarde
com sua arma pacificadora
cheia de desprezo
e eu explodirei seus lábios
vermelhos
como o sangue dos meus filhos
seus prisioneiros...

Inch’Allah
esta será
a última tarde
que você me dará!

Você me dará saúde
com suas drogas controladoras
cheias de doces venenos
e eu explodirei seu sorriso amável
e sereno
com a loucura irrefreável
de meus lamentos...

Inch’Allah
esta será
a última ilusão
que você me dará!

Você me dará um caixão
para cada filho perdido
no seu vazio de compaixão
e eu levarei meu manto enegrecido
e sem vida
para o seio de sua família reunida.
Mostrarei o meu peito explosivo
e celebrarei mais um capítulo de sua ruína
em outro paraíso,
em outra Palestina.

Inch’Allah
meu nome será
a última vida

que você escravizará!


3 comentários:

  1. http://sonatapremieres.blogspot.com/2013/04/inch_639.html

    ResponderExcluir
  2. Fodástico, ou melhor, fodásticos - o poema e filme.

    ResponderExcluir
  3. Grande inspiração Carlos!!!Sempre é preciso fazer arte com a ajuda da mesma...a inspiração sempre aparece de alguma forma...agora só preciso procurar esse filme...
    abraço

    ResponderExcluir