sábado, 15 de junho de 2013

Elegia pra Mariana, poema triste pra quem eu quase não conheci

Ontem soube da morte de Mariana Nogueira, ex-namorada de meu primo Marcus Adriano, uma garota linda, que perdeu sua vida nos acidentes da estrada da vida. Às vezes, há certo tempo atrás, nas milhares de viagens que faço de Valença para o Rio de Janeiro, eu esbarrava com ela no ônibus, ela sempre me cumprimentava com um sorriso imenso, conversávamos sobre faculdade, etc, na época acho que Mariana estudava no Rio, sei lá, só lembro do sorriso e como era linda, daquelas belezas imortais, que você não acredita que nunca vai partir. Mas o Poeta Maior precisa de anjos belos e ela partiu...
Hoje, ouvindo a triste canção “As flores do jardim da nossa casa”, do CD de 1969 de Roberto Carlos, o Rei me lembrou que as flores muitas vezes morrem no nosso jardim e me surgiu uma elegia pra quem eu quase não conheci...
Pra ser lido dando muito mais que um minuto de silêncio...

Elegia pra quem eu quase não conheci

Eu nem a conhecia direito pra me sentir tão triste assim,
mas a notícia de sua partida fere meus olhos,
uma sensação ruim...

Já não posso mais olhar para as flores que sorriem no jardim,
pois sei que elas morrem,
assim como você em mim... 




Nenhum comentário:

Postar um comentário