domingo, 3 de fevereiro de 2013

Solidões compartilhadas: Marcio Bragança de lá e de cá


Hoje compartilho minhas solidões poéticas pela primeira vez com o fodástico compositor, músico e escritor carioca Marcio Bragança, o Marquês de Cascadura. 
Conheci Marcio Bragança através da poetamiga Janaina da Cunha, durante uma edição do fodástico evento, organizado por ela, o Identidade Cultural & Movimento Culturista (atualmente, Marcio Bragança é o produtor musical do evento). 
Autor do blog “Conjugando sonhos” (vale a pena conferir - segue o link: http://conjugandosonhos.blogspot.com.br ), Marcio declarou, no facebook, que o poema lhe surgiu no meio de um engarrafamento: “Estava no meio de um engarrafamento e veio o texto. Estranho falar de amor num momento tão estressante como esse.”
Para os amigos leitores que sabem que o amor não tem hora nem lugar:

De Lá e de Cá

Preciso de uma nova inspiração
Uma mulher que me tire o chão
E me faça sentir voar
Flutuar nos ventos da paixão
Sem medo que de lá eu caia
Que eu me sinta seguro na barra da sua saia
Que eu me perca em suas entranhas
Que ela seja agridoce e tenha novos sabores
Que ela seja descompassada
Pra entrar no compasso dos meus defeitos
Que ela seja o sol que brilha após as trevas
Numa homérica odisseia
Não quero muita coisa
Só quero o amor puro e intenso
De lá e de cá

Um comentário: