segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Solidões compartilhadas: Sonhos, devaneios e amores de Juci Dias, a Guria Faceira



Guris e gurias, amigos leitores, hoje compartilho pela primeira vez minhas solidões poéticas com a escritoramiga Juci Dias, de São Leopoldo/RS. Conheci a autora virtualmente através das milhares de redes sociais as quais me conectei. Se não me engano, nosso primeiro encontro virtual foi no dihitt, uma espécie de comunidade de blogueiros. A partir daí, segui o blog de Juci Dias (aí vai o link: http://bahguriafaceira.blogspot.com.br/ ), twitter, etc. Por sinal, foram alguns versos no twitter dela que me despertaram muito a atenção para essa fodástica poeta; logo em sua descrição no perfil, Juci apresenta-se assim: “A frieza do relógio não compete com a quentura do meu coração...”. Passei a acompanhar sua poética e trago aqui a seleção de alguns textos fodásticos dela (tem muitos outros mais no link do blog "Guria Faceira", que passei acima pra vocês).
Que o tempo não esfrie o calor de nossas emoções, amigos leitores!

Sobre mim

Adoro a simplicidade das pequenas coisas
Elas me encantam...
Detalhes me fascinam, e algumas doses
Enlouquecem-me...
Sou uma ruiva “radioativa”
Beta ... Alfa... Gama...
Produzo minha própria fluorescência
Atravesso corpos opacos
Com minha luz ordinária...

Do tipo que odeia
Jogo sujo...
Palavras claras bem posicionadas
São sempre bem vindas
Este é meu maior “fenômeno natural”
Não coleciono derrotas
Conquisto batalhas...
“Ionizo” toda e qualquer pequena partícula.

Não vivo o ontem nem tão pouco o amanhã
Respiro o momento,
Visto-me um dia de anjo
O outro de diabo.
Sensata, possuo os pés no chão
Aprendi que ruivas
Não possuem asas...

Não sou do tipo leve
Que vaga pelas mentes alheias
Simplesmente chego e cravo minha marca.
Já toquei o intocável
E fui surpreendida pelo inimaginável...

Carrego muitos rótulos
E rotulo apenas arquivos já mortos.
Metade de mim é compreensão
E a outra razão
Equilibrada...
Desequilibrada...
Centrada...

Simplesmente eu...
Rude... Grossa... Meiga
Sou apenas mais uma “fórmula” indefinida
Entre outras tantas...




Gosto de sonhos,
devaneios e amores.
Gosto do balanço, de como me balanças,
sem ao menos me tocar.
Gosto da luz, que tens em teu olhar
e de teu jeito meigo de falar.
Gosto do modo sem modo,
do teu jeito de reclamar.
Gosto tanto e, de tanto gostar,
quero para sempre te amar!!!




Olhos distantes
Perdidos no horizonte,
A brisa mansa toca meu rosto...
Te vejo por entre o céu,
Recheado de nuvens,
Me perco no silêncio
Que afaga meu coração...
Doce momento...
Pequenas lembranças...
E um único pensamento:
Você!

Um comentário:

  1. o que falar?
    sem palavras meu rico so tenho a agradecer o carinho
    e a lembrança embora não trocamos muitas palavras sou uma
    grande admiradora de seus escritos. Realmente feliz pela divulgação
    Valeu meu rico

    forte abraço

    ResponderExcluir