quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Solidões compartilhadas: A explosão de amor em Stefanny Amaral


Mal começa o ano letivo e os talentos juvenis já me cercam pelos corredores com diversos poemas. Folhas e folhas de versos e sentimentos, emoções guardadas e brilhantes que agora se libertam e iluminam meus olhos.
Hoje compartilho pela primeira vez minhas solidões poéticas com a romântica poetaluna Stefanny Amaral, do 8.º Ano da Escola Municipal Alcino Francisco da Silva, em Teresópolis/RJ. Seu coração estava aos saltos, inicialmente temia ter suas prosas poéticas reprovadas pelo professor-poeta-pateta que vos fala, mas tamanhos sentimentos explodindo em prosas poéticas concisas merecem toda a minha atenção e elogios. São os versos pioneiros de grandes paixões e contêm o incontido, a impulsividade transbordante e romântica de grandes versos adolescentes. As prosas poéticas amorosas de Stefanny lembram as ultrarromânticas “Cartas portuguesas”, de Mariana Alcoforado (leiam esse livro e abram-se para os sentimentos mais intensos).
Transbordemos de amor, amigos leitores!  

Te amo

            Às vezes penso em ti... Sei como és divertido, mas sei também que não dás a mínima pra mim.
Mas isso não importa.
O que importa é que eu te amo.

Aventuras

            Às vezes penso o que seria de mim sem as estrelas, o mar, as aventuras...
            Às vezes penso o que seria de mim sem você...

Amar eternamente

            Te vi só duas vezes e agora não paro de pensar em ti.
            Queria te ver de novo pra te amar eternamente.

Você pra mim

       Agora eu quero você para mim!
O que você quer eu não sei, mas o que eu quero é ter você ao meu lado.


Nenhum comentário:

Postar um comentário