sábado, 10 de novembro de 2012

Solidões Musicais Compartilhadas: A Ampulheta Milenar dos Tempos do Celeiro das Rochas

Foto da banda "O Celeiro das Rochas",
na época da apresentação no
III Festival de Rio das Flores/RJ

Ainda falando da banda O Celeiro das Rochas, de Valença/RJ, cujo som eu amo demais, compartilho com vocês a letra da banda que conquistou meus aplausos líricos de pé: a letra de canção “Ampulheta Milenar dos Tempos”. Tive o privilégio de ver essa canção ser apresentada e ganhar com todo mérito o III Festival de Música de Rio das Flores, em 2011. A partir disso, Igor Almeida, compositor, vocalista e músico da banda, teve que me aturar em todos os shows pedindo sempre essa mesma música – no Arte Valença de maio de 2011, no show deles no extinto Open Bar, nas vezes em que o vocalista se apresenta sozinho, no show do Bat e Papo, na vez em que ele se apresentou no Sarau Solidões Coletivas In Bar, fora as milhares de vezes que lhe solicitei que disponibilizasse a canção para download dos fãs, ufa, haja paciência pra me aturar! rs
A letra da canção me faz lembrar a música de abertura da novela Fim do Mundo, de Paulinho Moska, que me inspirou na escolha do nome de meu primeiro livro (“Fim do fim do mundo”, de 1997) e relembra a necessidade de vivermos intensamente todo o dia, enquanto ainda resta ‘areia’ na ‘ampulheta milenar dos tempos’. Como diria Renato Russo, “é preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã / porque se você parar pra pensar na verdade não há”.
Deixo também o vídeo da canção, apresentada no Festival de Música de Rio das Flores, e lembro que o grupo fará uma apresentação hoje, chamada “O som da cor”,  às 23:30h, no Cine Glória, em Valença/RJ, um concerto num espaço inédito, fazendo, pela primeira vez na cidade, a inusitada união de show de rock e cinema.
Se temos tempo, amigos leitores, façamos agora, enquanto a areia não termina na ampulheta milenar dos tempos.
   
Ampulheta Milenar Dos Tempos
O Celeiro Das Rochas

O que faria se fosse ter um fim essa bola de água em que vivemos?
Correria sem ter rumo a chegar?
A algum lugar sem ninguém pra te encontrar?

Dormiria quando o sol nascer?
Encontraria o teu velho amor?
Beijaria a mão de quem tanto te honrou?

Levantaria as mãos? Pediria perdão?
Jogaria bola com tua cria?
Abriria a mão de viver em vão só por status, vanglória e covardia?

Pensaria melhor antes de agir?
Viveria aquilo que falar?
Plantaria uma canção pra nos sossegar?

E então por que não faz agora?
Se a areia não terminou
Na ampulheta milenar dos tempos?

Se ainda há Sol para raiar por que toda essa espera?
Se temos tempo por que não faz agora?



Um comentário:

  1. o mndo precisa de luz,veja no google:
    - nalub7
    - divulgando ascensao
    - paz e amor aos bichos

    paz sempre

    ResponderExcluir