segunda-feira, 9 de julho de 2012

Mais proximidades na distância: O meu primeiro adeus


Em homenagem ao poema “O primeiro adeus”, de Raquel Freire, que compartilhei há pouco, relembro meu poema homônimo ao dela, publicado em 2004, no meu quarto livro “O último adeus (ou o primeiro pra sempre)”. Como o poema de Raquel Freire, o meu também relembra a dificuldade de dizer adeus, deixar o outro partir sem mim, sem si, sem se, dizer adeus sem saber dizê-lo. Dedicado a todos os eus líricos que partiram e se partiram na partida da pessoa da pessoa, a todos os eus que leem a proximidade da distância e, inexperientes com as frequentes despedidas, nada podem fazer além de, cheios de vazios, tentar dizerem adeus...

O primeiro adeus

Cadê tuas mãos? Por que as escondes?
É tão estranho este teu medo inesperado
de me tocar...
Cadê teu sorriso?
Algum sentimento teu adoeceu
e agora me sinto doente também
Não sentes? Estás morta?
Não... É apenas teu coração
distanciando-se de mim...

            - Vamos dar um tempo – tu dizes.

Mas que tempo é esse? Hoje, amanhã, nunca ou pra sempre?
Agora percebo como és egoísta;
mal administro meu tempo
e ainda queres um pouco dele pra ti?!?
Sabes que não posso dar o que não tenho,
não posso esperar... O relógio sempre corre do meu pulso:
não tenho tempo, estou perdendo tempo contigo...
E lágrimas querem libertar-se de meus olhos,
passear pelo rosto como moças que esperam seus pares
num canto escuro do salão - eu dancei...
Mas homens não choram...
então esperarei tu saíres pra voltar a ser um bebê.
A tua partida me lembra o adeus do ET de Steve Spielberg:
és mais uma alienígena que abandona minha vida,
levando um pedaço de mim...
Meu coração adormece em teu quarto
e acorda aprisionado em tua cama,
sem entender o que aconteceu,
sem saber dizer adeus...

Um comentário:

  1. Obrigada por lembrar do meu poema querido Carlos Brunno! Que maravilha é tornar sentimentos tão intensos em versos e jogar p o universo afim d compartilhar com outros o qto é difícil dizer adeus. Parabéns, continue com esses trabalhos maravilhosos, sou tua fã!

    ResponderExcluir