sexta-feira, 1 de junho de 2012

Solidões compartilhadas: A efervescência cultural de Carlos Orfeu

Hoje compartilho minhas solidões poética com o poetamigo Carlos Orfeu, companheiro artista do Identidade Cultural & Movimento Culturista, grupo organizado pela poeta Janaína Cunha (há alguns vídeos de nossas participações nas postagens anteriores aqui do blog. 
Religiosamente cético e extremamente fanático e apaixonado pela efervescência cultural em nossos tempos, Carlos Orfeu, poeta natural de São Gonçalo, atualmente residindo em Queimados, nos oferece uma marcha lírica, tão eufórico quanto o poema "À esquerda", do poeta russo Maiacoviski, em prol da Revolução, no caso de Orfeu, Cultural. Outra influência clara no poema de Carlos Orfeu é o poema "Poética", do poeta modernista brasileiro Manuel Bandeira. Marchemos pelos (e com os) versos de "Efervescência Cultural":


Efervescência Culturista

Buscamos a palavra ainda não falada!
O verso não escrito!
A música ainda não tocada!
A dança não dançada!

Além do querer,
além da estrada.
Pegadas em versos
em gritos deixaremos.
Ah, ninguém há de calar
a nossa voz.
Ninguém há de vedar
o nosso grito.

Somos libertos,
estamos unidos

Breve é a vida!
Eterna é a arte!
E tudo flui libertação
do comodismo,
da poesia embrulhada,
da poesia masturbada,
da poesia limitada.

Salve! Salve!
Ó nossa
Liberdade
De criar e sentir,
De evoluir sempre,
evoluir.
Arder, arder, arder,
pisando estrelas urbanas,
a poesia das ruas, dos becos,
da periferia,a poesia em tudo,
em todos.

Buscamos o além,
sempre ir ao além
sem medo
da
queda!

Poetas, pintores
artistas de todo
movimento,
UNI-VOS
a nossa jornada!


Um comentário:

  1. Obrigado caro amigo e grande poeta
    por estas palavras,trouxeram um pouco de sol
    neste dia nublado.
    Estamos todos juntos nesta longa estrada
    com a arte fervendo na alma,e nossos gritos criando asas cada vez voando mais alto.

    Um grande abração poeta!

    ResponderExcluir